• Alimentação - Você come mesmo sem estar com fome? Confira 4 dicas para driblar a compulsão alimentar

Você come mesmo sem estar com fome? Confira 4 dicas para driblar a compulsão alimentar

Você é daquelas pessoas que sempre precisa ter um lanchinho ou alguma coisa pra mastigar por perto? O hábito é típico de quem sofre com a compulsão alimentar, a necessidade de comer mesmo sem estar com fome. Para ajudar quem tem medo de abusar e ganhar quilinhos indesejados a dar um basta nesse problema, a especialista em obesidade Gladia Bernardi, autora do best-seller “Código Secreto do Emagrecimento” deu algumas dicas. Confira:

Foto: Adobe Stock

Foto: Adobe Stock

1 – Treine sua mente

Quem nunca ouviu falar naquela famosa expressão “atraímos tudo aquilo que pensamos”? Muitos costumam almejar coisas na vida – como ter sucesso, viajar, conseguir um bom emprego-, além de emagrecer, que geralmente está entre os primeiros itens da lista de “sonhos de consumo”.

O problema é que a maioria das pessoas deseja e se concentra de fato naquilo que quer alcançar durante apenas 5 minutos no dia e, nas demais horas, fica se lamentando sobre o quanto tudo é difícil de se conseguir, criando obstáculos para si mesmo.

“O mesmo acontece no processo de emagrecimento. Se você comer pensando ‘como se não houvesse amanhã’, com certeza irá ganhar os quilos que não deseja e não precisa. Por isso, controle o seu pensamento e treine sua mente para que não tenha atitudes compulsivas”, salienta.

+ Faça sua inscrição para a Seven Run São Paulo!

2- Controle os seus sentimentos

As sensações ruins que foram geradas por conta dos pensamentos negativos geram sentimentos de fracasso, desânimo, rancor, inveja, tristeza, e até depressão. Assim como tudo o que ingerimos traz benefícios ou malefícios para a nossa saúde, o mesmo acontece com os nossos sentimentos.

“Se nos alimentamos com sentimentos ruins que surgem devido aos pensamentos negativos, como pontuamos no item anterior, nossas células também irão receber mensagens ruins. Por isso, quando comemos o chocolate, por exemplo, pensando que vamos engordar, automaticamente o corpo vai entender que aquele alimento ingerido engorda. Uma coisa acaba levando à outra”, comenta Gladia.

3- Não seja “escravo” das suas vontades

Como explicado acima, tudo faz parte de um ciclo. Se você tem pensamentos negativos (passo um), que se transformam em sentimentos que mandam mensagens erradas para as suas células (passo dois), o terceiro passo, segundo Gladia, são as mensagens enviadas pela mente, que nos impedem de comer apenas o necessário.

“Nesse item, podemos dizer que a mente aponta, de forma equivocada, que devemos comer uma quantidade exagerada de chocolate na Páscoa, por exemplo, já que ela acontece apenas uma vez ao ano, que na segunda-feira seguinte não comerá mais chocolate, que um pouco a mais não vai engordar, e assim por diante. Essas atitudes viciam o cérebro e criam um padrão alimentar ruim e desnecessário”, explica.

4 – Cultive bons hábitos alimentares

O quarto e último passo é não permitir que tudo o que foi citado acima torne-se um hábito, o que pode acontecer com a repetição, conforme os anos vão passando.

“A minha dica é que, se você já se considera uma pessoa que está acima do peso por conta dos maus hábitos, que foram viciando o seu cérebro desde quando você era criança, é importante começar a mostrar que existem rotinas saudáveis que a sua mente também pode aprender aos poucos. É uma questão de mudança de perspectiva, onde a Páscoa não será um motivo para comer exageradamente, mas, sim, uma data em que é permitido comer chocolate de forma moderada”, finaliza.

+ Mude seus hábitos, inscreva-se para uma corrida!

Comentários

Tags:, , , , ,
Redação Webrun
Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!
Publicidade

Calculadoras Webrun

Publicidade

NEWSLETTER