• Alimentação - Benefícios do exercício de força e do exercício aeróbio na obesidade

Benefícios do exercício de força e do exercício aeróbio na obesidade

A dieta e o exercício físico são as opções terapêuticas de primeira escolha para o tratamento da obesidade

O exercício físico é determinante na regulação do peso corporal. É capaz de aumentar o gasto energético total diário de duas formas: (a) gasto induzido pelo exercício físico durante o treino; e (b) aumento da taxa metabólica de repouso que pode perdurar até 24 a 48 horas após a sessão de treino.

A perda de peso ocorre quando o consumo energético é menor do que o gasto energético. Sabe-se que o déficit energético de 500 a 1000 Kcal/dia é capaz de promover a perda de 0,5 a 1 Kg/ semana, o que representa uma perda de peso realista, satisfatória e segura. Para que se atinja este limiar de déficit energético apenas pelo incremento da atividade física são necessários, aproximadamente, 80 a 160 min/dia de exercício físico moderado.

A grande maioria dos estudos sobre exercício e obesidade utiliza o exercício físico aeróbio como estratégia Foto: Pressmaster/Fotolia

A grande maioria dos estudos sobre exercício e obesidade utiliza o exercício físico aeróbio como estratégia Foto: Pressmaster/Fotolia

Porém, sabemos a dificuldade em adotar e manter um volume tão elevado de atividade física em longo prazo. Logo, outras estratégias para indução do déficit energético se fazem necessárias. A associação da atividade física aeróbia com a dieta é ainda a estratégia mais recomendada para promoção da perda de peso.

A grande maioria dos estudos sobre exercício e obesidade utiliza o exercício físico aeróbio como estratégia, possivelmente porque este tipo de exercício proporciona maiores aumentos do gasto energético durante a sessão.

Inscreva-se para a Rio City Half Marathon 2018. Clique aqui!

De fato, o treinamento de força não está associado a maiores perdas de peso e de gordura corporal com ou sem restrição energética. Contudo, embora o treinamento de força não induza aumento importante do gasto energético durante o exercício, ele é um potente estímulo para o aumento de massa magra e de força muscular, que estão diretamente associados ao aumento da mortalidade.

Logo, a associação do exercício aeróbio ao exercício de força parece ser a estratégia mais interessante para otimizar a perda de peso corporal e a composição corporal durante a restrição energética como forma de tratamento da obesidade.

A associação da atividade física aeróbia com a dieta é ainda a estratégia mais recomendada Foto: Suriya/Fotolia

A associação da atividade física aeróbia com a dieta é ainda a estratégia mais recomendada Foto: Suriya/Fotolia

Quando o tratamento farmacológico é indicado?

A dieta e o exercício físico são as opções terapêuticas de primeira escolha para o tratamento da obesidade. Entretanto, o tratamento farmacológico pode ser utilizado, sempre aliado à dieta e ao exercício físico, em pacientes com IMC > 30 Kg/m2 ou IMC > 27 Kg/m2 com comorbidades, que não responderam às abordagens não farmacológicas. Deve-se considerar que o uso de medicamentos apresenta maior risco para a saúde e, portanto, sua utilização é recomendada apenas quando os benefícios justificarem os riscos.

Comentários

Tags:, , ,
Ana Carolina Cortê
Dr. Ana Carolina Cortê é formada em medicina do esporte, tem doutorado em Ciências médicas com enfoque em Obesidade e Exercício, além da pós graduação em Termologia Médica. Atualmente é médica do Comitê Olímpico Brasileiro, da clínica PULSE e da seleção de Ginástica Artística. Já trabalhou com a equipe de natação de alto rendimento do Sport Club Corinthians Paulista e com atletas do Clube Pinheiros, durante o Projeto Olímpico.
Publicidade

Calculadoras Webrun

Publicidade