Home / Conteúdo / Notícia

|http://www.webrun.com.br/h/noticias/cistite-como-podemos-evitar/6520|http://www.webrun.com.br/h/noticias/cistite-como-podemos-evitar/6520
Notícias

Por Luciana Dias | 31/05/2007 - Atualizada às 16:22

Cistite: como podemos evitar?

Muitas mulheres já sofreram ou sofrerão algum dia de cistite, um tipo de inflamação/infecção urinária, cujos sintomas são: desconforto no “baixo ventre” e que só vai piorando se não tratar logo; vontade de “fazer xixi” de cinco em cinco minutos e com uma dorzinha no final; algumas vezes a urina sai com sangue (nos casos mais graves). Realmente não é nada agradável.

Quem já teve, sabe do que estou falando. Segundo pesquisas, 50% das mulheres terão cistite durante sua vida. As mulheres em atividade sexual farão, no mínimo, um episódio de cistite a cada dois anos. Já nos homens, a incidência é muito menor. Em média, ocorrem de cinco a oito casos de cistite em cada 10 mil homens.

Entre as mulheres grávidas, sua ocorrência é bastante comum, principalmente quando a gestante bebe pouca água e/ou “segura” por muito tempo o “xixi”. Com as praticantes de atividade física, além dos motivos anteriores, ainda existe o agravante de suar e continuar com a roupa úmida, o que provoca um ambiente propício para a proliferação de fungos e bactérias, que é o primeiro passo para o quadro de infecção urinária.

Entretanto, existem alguns cuidados que podemos tomar para evitar que isso aconteça:

  • beber líquidos em abundância, de preferência água (acima de dois litros por dia);
  • não segurar o “xixi” por muito tempo;
  • fazer sexo seguro, evitando as infecções sexualmente transmissíveis;
  • fazer “xixi” após as relações sexuais;
  • evitar usar absorvente interno (use o menor tempo possível);
  • dê preferência à calcinhas de algodão;
  • evitar ficar com a roupa suada por muito tempo;
  • lavar a região com água e sabão sempre que possível, principalmente durante a menstruação e depois de evacuar.

    Mas, se por acaso começar a sentir algum dos sintomas mencionados, procure seu médico o mais rápido possível, pois o tratamento normalmente é feito à base de antibióticos, que não devem ser tomados de forma indiscriminada.

    Luciana Dias


    Consultora Webrun da seção Mulheres. É Bacharel em Esporte pela USP, pós-graduada em Fisiologia e Metodologia da Atividade Física Personalizada pela EPM, diretora técnica da Ludias Assessoria Esportiva e professora da Academia Runner desde 1993. Também trabalha como personal e foca seu trabalho em qualidade de vida.
  • Comentários

    Publicidade

    Publicidade