• Alimentação - Você sabe ler o rótulo dos alimentos que come no dia a dia?

Você sabe ler o rótulo dos alimentos que come no dia a dia?

Nomes técnicos e palavras desconhecidas confundem a cabeça do consumidor até mesmo em produtos saudáveis

Quem nunca parou para ler o rótulo de alimentos e acabou não entendo nenhuma das informações que estava ali? Sabia que elas são obrigatórias? Todas mostram indicadores do que você está comendo, sendo que alguns informados nem fazem tão bem para nossa saúde.

Existe um novo modelo de rotulagem nutricional em campanha, considerada de extrema urgência por mais de 30 organizações da sociedade civil, como o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, o Conselho Federal de Nutricionistas e a Associação Brasileira de Saúde Coletiva. Ela seria uma das possíveis ações para conter o avanço de doenças relacionadas à alimentação não saudável.

Com o slogan “Anvisa, nós temos o direito de saber o que comemos”, a finalidade é pressionar a Agência Nacional de Vigilância Sanitária e demais formuladores de políticas públicas sobre a urgência da aprovação do novo modelo.

Por isso tente seguir a regra: quanto menos embalagem no alimento melhor, mas quando não for possível você pelo menos saberá, à partir de agora, como avaliar se aquilo é bom ou não.

Foto: Fotolia/Arquivo Webrun

Foto: Fotolia/Arquivo Webrun

Conheça os itens da rotulagem obrigatória

Porção: pode ser considerado um dos principais itens e que muitas vezes não é observado. Afinal, todas as outras informações se baseiam nele. Mostra a medida recomendada daquele alimento considerado saudável para o consumo. Para saber o quanto irá ingerir corretamente é preciso multiplicar o valor do rótulo, pela quantidade total da embalagem. Por exemplo, a porção avaliada é de 25g e o pacote de 125g.

Valor energético: são as calorias, podem vir em quilocalorias (kcal) ou quilojoules (kJ).

(%VD): o percentual das porções no rótulo é baseado em dietas de 2.000 calorias, consideradas ‘saudáveis’ para a população, mesmo assim as necessidades individuais de cada pessoa podem ser maiores ou menores que este valor padrão.

Gorduras totais: a soma de todos os tipos de gordura encontrada em um alimento, seja de origem vegetal ou animal.

Gorduras trans: o consumo desse tipo deve ser bem reduzida, pois ela aumenta o risco de doenças cardíacas. É encontrada especialmente em alimentos industrializados. Prefira sempre os que não o tem.

Sódio: é o sal. Se consumido em exagero pode causar inchaço e hipertensão. Fique atento ao número, já que segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a ingestão deve ser de até 2000 miligramas por dia. Nós, brasileiros, costumamos ingerir 12g de sal/dia, mais que o dobro da quantidade recomendada.

Lista de ingredientes: a ordem listada na embalagem é organizada para que o ingrediente mais presente seja o primeiro na lista. Por exemplo, um pão integral é mais nutritivo se começar com farinha de trigo integral na lista, não farinha de trigo enriquecida com ácido fólico. E lembre-se quanto menos ingredientes, mais saudável é o produto.

Glúten: a legislação brasileira determina que em todos os rótulos é preciso ter à informação se tem ou não glúten.

Lote: usado para controle na empresa. Se houver algum problema é por este número que serão feitos os testes nas amostras que ficaram guardadas para controle.

Se você tiver algum tipo de alergia é preciso atenção redobrada aos rótulos já que expressões como ‘podem conter traços de’ significam que o produto foi fabricado com utensílios compartilhados e pode haver risco de contaminação cruzada.

Sem açúcar? Que nada!

Muitos produtos não identificam o açúcar com a palavra que todos conhecem, mas sim com nomes científicos e BEM diferentes do que estamos acostumados. Veja alguns dos nomes que as empresas usam para camuflá-lo e colocar na lista de ingredientes até mais de uma vez.

Maltodextrina (o mais comum), lactose, xarope de malte, glicose, frutose, néctars, açúcar cristal, sacarose, açúcar invertido, açúcar de confeiteiro, açúcar mascavo, açúcar bruto, mel, açúcar branco/refinado, melaço/melado, caldo de cana, dextrose, maltose e xarope de milho, xarope de malte, glucose de milho.

Fique sempre atendo ao que você consome, seguindo as dicas dessa matéria, você com certeza irá melhorar sua saúde e da sua família.

Comentários

Tags:, , , ,
Redação Webrun
Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!
Publicidade

Calculadoras Webrun

Publicidade