• Lesão - Lesão pélvica na corrida: veja como identificar e tratar

Lesão pélvica na corrida: veja como identificar e tratar

Durante a corrida, alguns cuidados precisam ser tomados. Entre eles, associar o alongamento adequado e quantidades adequadas de hidratação são essenciais se você quiser manter um corpo saudável e tonificado. No entanto, correr sem as devidas preocupações, pode causar uma grande quantidade de danos ao corpo, e a lesão pélvica é um exemplo.

Esse tipo de lesão é mais comumente encontrada em mulheres do que em homens, e cerca de 45% das mulheres que têm queixa nessa região são por fraturas por estresse, as pequenas fissuras na região. Para muitas mulheres, segir uma dieta restritiva pode impedi-las de menstruar. A menstruação produz o hormônio feminino estrogênio, e quando uma mulher não tem, enfraquece os ossos, favorecendo o maior número  de mulheres com esse tipo de lesão.

A lesão na pelve é sentida na região pélvica, que vem da sobrecarga na corrida. A lesão pélvica do corredor é uma lesão importante que afeta os corredores de terrenos difíceis, irregulares e para os indivíduos que tem alterações biomecânicas.

+ Confira aqui o seu calendário completo de corridas de rua!

Tipos de dores

Nas áreas ao longo do quadril, onde a dor é sentida, as possíveis causas são:

Dor anterior do quadril: essa forma de dor vem dos flexores do quadril ou das articulações do quadril.
Dor Lateral do quadril: a dor pode ser sentida na banda iliotibial ou mais comumente conhecida como bursite ou atrito da banda IT.
Dor posterior do quadril: dor e sensação de aperto são sentidas no músculo piriforme.
Dor na virilha: a dor simula hérnia inguinal.

Lesão pélvica na corrida: veja como identificar e tratar - Foto: Adobe Stock

Foto: Adobe Stock

Sintomas da lesão pélvica

Qualquer dor que você sinta ao correr é um sinal de que você pode ter desenvolvido alguma forma de dor pélvica. Existem alguns sintomas que podem ser identificados para descobrir a lesão. Entre eles, dor leve ou intensa na virilha, quadril, na região pélvica; desalinhamento do quadril; menor a severa dor sentida na perna e no pé/pés; contusão ou inchaço na área pélvica; desconforto ao sentar-se, em pé ou ao andar; desconforto ao ter um movimento intestinal; sensação de formigamento na região da virilha; diarreia, obstipação, inchaço; desconforto ao urinar ou relação sexual; cólicas menstruais progressivamente dolorosas; sangramento/corrimento; em todos os casos, procure um médico do esporte para fazer o diagnóstico diferencial.

Causas

Existem muitas causas que podem resultar em alguém sofrendo de dor no quadril. A dor vem de várias fontes e são geralmente encontradas nos ossos, articulações, músculos, tendões e bursas. A maioria das lesões é causada por excesso de esforço ou excesso de treinamento. Lesão sofrida no passado (história de trauma prévio): é uma causa comum de um indivíduo, especialmente se estiver correndo, desenvolver lesões pélvicas se já teve uma história no passado de ter tido um trauma na região.

Postura ruim: a má postura pode acontecer por uma variedade de razões, como a forma como sentamos, se estamos curvados ou se nos apoiamos. Muitas vezes, quando corremos, usamos um lado de apoio, de preferência nosso lado forte, que distorce nosso alinhamento e biomecânica. O que a má postura faz ao corpo: aumenta o nível de estresse e sobrecarga no lado q recebe mais impacto e desalinha as articulações e vértebras da coluna.

Desequilíbrio de força (ou assimetrias): favorece um lado colocando mais peso em um lado enquanto andamos, sentamos ou corremos.; Aterrissagem: existe uma maneira correta de executar a corrida. Se você estiver correndo com sobrecarga posterior, em vez do antepé você irá causar dores não apenas ao quadril, mas também à parte inferior das costas (lombar). Superfícies resistentes: a superfície em que você está correndo, se rígida, também pode causar muito estresse na coluna e quadril.

Diagnóstico da lesão pélvica

Há muitas maneiras de determinar se você desenvolveu uma lesão pélvica. Essas lesões são notoriamente difíceis de encontrar no início. Isso ocorre porque, no início, quando a dor começa, ela é mal interpretada como uma simples contração muscular. Essa má interpretação da dor faz com que a lesão se torne muito pior mais tarde e se desenvolva. A melhor maneira de determinar se você desenvolveu alguma forma de lesão pélvica é falar com um médico especialista em esportes.

+ Inscreva-se para a Maratona do Rio 2020 aqui!

Tratamento

Lesões pélvicas são bastante comuns e a dor associada pode manter muitos corredores fora da pista por semanas a meses. Mas, felizmente, existem maneiras de tratar essa lesão, pois são mais comumente associadas ao quadril, mas podem ser uma fonte de dor em outras partes do corpo. Tal como a parte inferior das costas e coxa.

Existem tratamentos que podem ajudar a alinhar o quadril, fortalecer e reequilibrar. Para a maioria das fraturas na pelve, o melhor tratamento é simplesmente descansar e estimular a consolidação. No entanto, existem algumas lesões que são tão graves que exigem muletas, semanas de descanso extremo e, em alguns casos, a cirurgia é necessária devido à gravidade da lesão ou eventual desvio.

Comentários

Tags:, , , , ,
Ana Paula Simões
Professora Instrutora e mestre em Ortopedia e Traumatologia do Esporte da Santa Casa de SP. Membro internacional e nacional da Sociedade de medicina e cirurgia da Perna, Tornozelo e Pé. Vice presidente da sociedade paulista de medicina esportiva. Comissão da prova de título da Sociedade Brasileira de medicina do esporte. Membro da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte e da Sociedade de Traumatologia Esportiva. E também é corredora e nadadora.
Publicidade

Calculadoras Webrun

Publicidade