Vitória Rosa bate recorde sul-americano dos 200 m

A velocista Vitória Rosa quebrou nesta terça-feira (19/7) o recorde sul-americano dos 200 m nas semifinais do Campeonato Mundial do Oregon, em Eugene, nos Estados Unidos. Ela terminou em quarto lugar na segunda série, com 22.47 (1.4), mas não avançou para a final de quinta-feira (21/7). A série da brasileira foi muito forte. O recorde sul-americano anterior era de Ana Cláudia Lemos Silva, com 22.48 (1.0), desde o dia 6 de agosto de 2011, marca obtida em São Paulo.

“Isso significa muito para mim, só Deus sabe o quanto lutei. Eu quero muito mais e eu entrego sempre o melhor de mim na prova. Não estou sozinha nesse resultado, tem várias pessoas comigo que o grande público não vê, tem um monte de profissionais atrás de um atleta”, disse Vitória, muito emocionada. “Isso mostrou que não sou uma simples atleta competindo contra outros, também sou talentosa”, completou a atleta carioca, que corre também os 100 m, mas tem uma “conexão muito forte” com os 200 m.

Vitória Rosa ficou em 12ª posição na classificação geral. A melhor marca das semifinais foi alcançada pela jamaicana Shericka Jackson com 21.67 (2.0).

+ Siga o Webrun no Instagram!
+ Baixe agora o APP Ticket Sports e tenha um calendário de eventos esportivos na palma da sua mão!

“Estou muito feliz por esse resultado. Desde o início da temporada o meu objetivo era nas minhas provas individuais, tive duas lesões – uma na final do Mundial Indoor e outra depois do Ibero –, mas fizemos de tudo para que eu me recuperasse a tempo. E graças a Deus deu certo, minha estrela brilhou”, acrescentou a carioca Vitória, que treina com Katsuhico Nakaya em São Paulo.

Chayenne Pereira da Silva foi a 7ª colocada na primeira série das eliminatórias dos 400 m com barreiras, com 59.46, 36ª no geral. “Tivemos de dar uma segurada quando estava entrando no período competitivo por causa de lesão. Fiquei bem, sem nenhum tipo de dor, mas ainda bati nas duas primeiras barreiras e acabou prejudicando. Mas vou continuar trabalhando, ficar 100% de novo”, disse Chayenne, recordista brasileira da prova, com 55.15.

Informações sobre o Mundial estão disponíveis no site do evento: CLIQUE AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carolina Abrantes

Carolina Abrantes

Estudante de jornalismo, já metida a repórter. Encantada pelo mundo dos esportes e pela forma como eles podem mudar a vida das pessoas.

Ver todos os posts