1896 – Jogos Olímpicos de Atenas

Para os gregos duas provas eram de grande importância e para estas julgavam fundamental a vitória de um compatriota: lançamento do disco e Maratona.

O disco foi surpreendentemente vencido pelo americano Robert Garret que só foi conhecer o implemento em Atenas. Ele havia ido à prova apenas para competir no arremesso do peso.

Mas, restava a Maratona a prova que tinha toda uma simbologia, pois seria disputada no mesmo percurso onde na Antiguidade (490 Antes de Cristo), o soldado Filipedes percorreu para dar a noticia da vitória Ateniense em batalha e que ao chegar exausto, faleceu.

Na época o percurso da Maratona não era exato e tinha aproximadamente 40 quilômetros.

Há uma controvérsia sobre o número de participantes, uns dizem 25, outros 21 ou 18 inscritos. Alguns gregos que participaram não estavam oficialmente inscritos.. Dos participantes quatorze eram gregos e apenas quatro estrangeiros, sendo um francês, um australiano, um americano e um húngaro… O certo é que haviam diversos inscritos que não compareceram à largada prevendo a dificuldade da prova. Os corredores viajaram na véspera para Maratona onde seria a largada e cerca de 25 estavam lá, alguns até para não participar.

Uma curiosidade é que os três primeiros colocados nos 1.500 metros participaram o que demonstra que à época não se sabia exatamente o que era enfrentar uma maratona, tanto que nenhum dos três chegou ao final, apesar de terem liderado parte da prova .

A Grécia havia feito uma seletiva vencida por Vasilakos em 3:18.00 seguida por Belokas e, em outra seletiva o Spyridon Louis havia terminado em quinto lugar.

Para não falarmos apenas da Maratona registramos que o australiano Edwin Fkack à época competiu levado por uma escola britânica já que estudava na Inglaterra. Venceu os 800 metros em 2:11:0 e também os 1.500 metros em 4:33:2 derrotando o americano Arthur Blake na reta final. Ambos disputaram a Maratona tendo Blake parado no 23 Km e Flack resistido até 37 Km.

A largada da primeira Maratona Olímpica foi às 14:00h da ponte de Maratona e os corredores foram seguidos por bicicletas, árbitros, soldados a cavalo e em algumas paradas havia médicos aptos a darem os primeiros socorros.

O primeiro líder foi o francês Lermursiaux que havia sido o terceiro nos 1.500 metros seguido pelo australiano campeão dos 800m e 1500m. Os gregos vinham mais atrás, comedidos, respeitando a distancia e a dificuldade do percurso. Na passagem por Pikerni em 52 minutos, o francês ainda liderava com o australiano em segundo. Havia um grande público assistindo, em Pikerni, o grego Louis tomou uma taça de vinho e perguntou como estavam os lideres demonstrando muito otimismo em alcançá-los.

No 23 Km o americano Blake caiu e desistiu, e o grego Vassilakos passou a ocupar o terceiro lugar. Ao chegar em Kervait o francês continuou à frente com o australiano em segundo e recebeu uma coroa preparada pelos moradores. A partir de Kervait começaram as subidas e os problemas para o francês Lermursiaux. O australiano Flack o ultrapassou.

O grego Louis continuou a progredir e a se aproximar dos lideres com um grande número de moradores de sua cidade acompanhando-o e incentivando em trechos do percurso.

Até que no 33 Km o grego Spyridon Louis passou o australiano Flack e assumiu a liderança. A seguir vinham o húngaro Kelner e os gregos Vasilakos e Belokas. No 37 Km o australiano Flack campeão dos 800 e 1500 metros, exausto e vendo a vitória lhe escapar caiu desmaiado sendo levado inconsciente. Louis continuou aumentando a diferença. Os espectadores no Estádio se levantaram para receber o campeão da árdua prova e mal conseguiram prestar atenção na prova de salto com vara que se desenrola ao mesmo tempo no Estádio.

Quando o arbitro oficial adentrou ao estádio, se dirigiu ao camarote real e anunciou que o grego Spyridon Louis era o 1º a euforia do publico tornou-se total com vivas e aclamações intermináveis. O campeão se inclinou diante do Rei George I que demonstrou muita emoção ao saudar o campeão Louis.

O tempo de Spyridon Louis para o difícil percurso foi de 2:58:50. O grego Vasilakos terminou em segundo lugar com 3:06:03 com outro grego, Belokas, em terceiro com 3:06.30.

O húngaro Kellner terminou em quarto lugar em grande demonstração de esforço e luta em 3:06:35. Posteriormente o grego Belokas foi desclassificado ficando o húngaro em terceiro.

Apenas nove corredores completaram o percurso sendo oito gregos.

Como na época o amadorismo era total no esporte o grego Louis nunca recebeu nada em dinheiro, apenas prêmios inusitados como cortes de cabelo por toda a vida, restaurante grátis por uma temporada, um cavalo, terras, etc…

Este texto foi escrito por: Sergio Coutinho Nogueira

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts