1928 – Jogos Olímpicos de Amsterdã

Estes foram os primeiros jogos Olímpicos sem a presença do grande Barão Pierre de Coubertin que havia sido o grande incentivador do ressurgimento dos Jogos e que presidiu o Comitê Olímpico Internacional até 1925

A família real e a Igreja, na Holanda eram contra a organização dos Jogos, mas com o maciço apoio da população as dificuldades e problemas foram contornados e os Jogos foram um sucesso e contou com 3.014 atletas de 46 países em 14 modalidades, infelizmente com a ausência de nosso Brasil que havia conquistado 3 medalhas na estréia olímpica de 1920.

A Alemanha volta a participar de forma auspiciosa conquistando 31 medalhas sendo 10 de ouro.

Como não havia Vila Olímpica os atletas ficaram alojados em navios, quartéis, e escolas.

Foi a 1ª vez em que a Chama Olímpica ficou acesa na Pira durante todo o transcorrer dos jogos

O Uruguai ganhou o futebol derrotando a Argentina na final e note-se que foi disputado valendo também como Campeonato Mundial, daí o apelido da seleção Uruguai como Celeste Olímpica.

Pela 1ª vez foram realizadas provas femininas no atletismo que eram combatidas tanto por Coubertin como pelo Papa Pio XI. O destaque feminino foi a holandesa Fanny Bankers-Koen que venceu os 200metros com 24.4. Na prova de 800 metros feminino as atletas chegaram exaustas com a vitória da alemã Radke em 2:16.8. Impressionou tanto a exaustão das atletas que a prova foi suspensa e só voltou a ser realizada em 1960.

No atletismo masculino houve um franco domínio dos Flying Finish ( Finlandeses Voadores) que venceram todas as provas de pista acima de 1.500 metros.

Nos 800 metros vitória britânica com Douglas Lowe com 1:51.8. Nos 1.500m vitória do finlandês Harry Larva com 3:53.2

Nos 3000m steeple vitória do finlandês Toivo Loukola que em 9:21.8 ( recorde mundial) derrotou o fenomenal Paavo Nurmi em 9:31.2 deixando em 3º mais um finlandês Andersen. Nurmi fez nesta prova sua ultima aparição olímpica e estava exausto por suas participações nas outras provas. Curioso destacar que Loukola foi dispensado do exército 5 anos antes por ter tuberculose e a partir daí dedicou-se à reabilitação.

Nos 5000 metros tivemos uma batalha de gigantes, onde o finlandês Ville Ritola venceu com 14:38.0 derrotando o compatriota Paavo Nurmi com 14:40.0. Vale destacar também a carreira olímpica de Ritola que ganhou nada menos que 5 medalhas de outro em suas participações olímpicas além de 3 medalhas de prata .

Nos 10.000 metros outra batalha de gigantes, desta vez com vitória de Paavo Nurmi com 30:18.8 derrotando o seu tradicional rival, o compatriota Ritola que fez 30:19.4. Esta foi a 9ª medalha de ouro do fenomenal Paavo Nurmi considerado até hoje um dos grandes monstros sagrados olímpicos de todos os tempos. Nurmi em sua carreira estabeleceu nada menos que 29 recordes mundiais. Deve ser dito que até o inicio dos Jogos de 1928 não se sabia ao certo se Nurmi participaria ou não pois como tinha perdido algumas provas antes havia se retirado para treinamento e não se conhecia suas reais condições. Nurmi ainda tentou participar dos Jogos Olímpicos de 1932 na maratona mas foi proibido por ter aceito pagamento acima do permitido na época como atleta amador. Nurmi foi redimido ao entrar carregando a Tocha Olímpica na aberturaq dos Jogos de 1952 em Helsinqui, ovacionado por todos os presentes.

Na maratona vitória do francês Bourghera El Ouafi com 2:32.57.0 vencendo o chileno Miguel Plaza Reyes com 2:33..23.0 numa prova equilibrada com grande alternância de lideres e onde prevaleceu ao final o “francês” Ouafi nascido na Argélia.

Este texto foi escrito por: Sergio Coutinho Nogueira

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts