1956 – Jogos Olímpicos de Melbourne e Estocolmo

Provas Eqüestres:
Melbourne – 22/11 a 08/12/1956
Estocolmo – 10 a 16/06 – Provas hípicas

A Austrália cumpriu a tempo todos os requisitos e encargos para realizar os Jogos Olímpicos em excelentes condições, exceto num item: não conseguiu eliminar a quarentena de 6 meses necessária para os cavalos entrarem no País. Desta forma, o COI decidiu realizar as provas hípicas em Estocolmo, reunindo 29 países com 158 atletas. A Suécia venceu 3 das 6 medalhas de ouro disputadas no hipismo. Há que se registrar que o Rio de Janeiro candidatou-se para sediar os Jogos Equestres, tendo perdido para Estocolmo e Paris na votação final. O hipismo, que nunca tinha obtido maior destaque nos Jogos Olímpicos, encontrou o seu apogeu em Estocolmo em função da presença de inúmeros reis e príncipes de diversos países, proporcionando uma belíssima cerimônia de abertura com todos os atletas participantes desfilando montados em seus respectivos cavalos. O Brasil participou e teve entre seus atletas o cavaleiro Nelson Pessoa, pai de Rodrigo Pessoa, uma das maiores esperanças brasileiras em Sydney/2000.

Melbourne

O início foi terrível, por motivos políticos. Egito, Iraque e Líbano boicotam os Jogos em função da invasão de Israel ao canal de Suez. A invasão contou com apoio de França e Inglaterra. Outro fato político de grande repercussão, pouco antes do início da Olimpíada, foi a invasão da URSS à Hungria. Holanda, Espanha e Suíça boicotam os Jogos, que contaram com a presença da Hungria e da URSS.

A China também não compareceu em virtude do COI ter reconhecido Taiwan.

O presidente do COI, Avery Brundage, disse: “Antigamente, as nações paravam as guerras para competir nos Jogos Olímpicos e, atualmente, elas param o olimpismo para continuar as guerras”.

Ainda assim, apesar das viagens serem longas e de ser a primeira vez em que os Jogos se realizariam no hemisfério sul e em época diferente da usual, requerendo mudanças nos treinamentos e periodização dos atletas, 67 países compareceram com 3.184 atletas. A URSS ganhou 37 medalhas de ouro, enquanto os EUA levaram 32 e a Austrália 13. A rivalidade soviética/americana fez com que fosse dada uma importância maior ao quadro de medalhas, pois o espírito olímpico previa a competição entre indivíduos e não entre nações.

O Brasil obteve 1 medalha de ouro, novamente com o extraordinário Adhemar Ferreira da Silva. O País participou nas seguintes modalidades: remo, boxe (Éder Jofre foi o nosso maior destaque, sendo eliminado na 3ª rodada), tiro, natação, levantamento de peso, iatismo, basquete (obteve a 6ª colocação), atletismo (além do campeão Adhemar, tivemos José Telles da Conceição na final dos 200m), hipismo e ciclismo.

Na abertura, o jovem atleta Ron Clark, de 19 anos, que depois seria um dos melhores fundistas do mundo, queimou o seu braço direito ao acender a pira olímpica.

No desfile de encerramento, os atletas desfilaram juntos pela primeira vez sem estarem separados por países.

Na semifinal do pólo aquático, a rivalidade URSS e Hungria se fez presente. A Hungria vencia por 4 a 0 e o árbitro sueco suspendeu a partida porque a jogo havia se transformado em boxe aquático. Foi necessária intervenção policial para “serenar” os ânimos. A Hungria acabou se tornando campeã no pólo ao derrotar a Iugoslávia na final, para alegria da torcida que estava a favor da Hungria invadida.

O americano Al Oerter, de 20 anos, venceu no lançamento do disco, façanha que repetiria mais 3 vezes. Al Oerter não era o favorito em nenhuma de suas vitórias olímpicas.

Na maratona, o francês nascido na Argélia Alain Mimoun O’Kacha, que já havia conquistado 3 medalhas de prata em Jogos anteriores, sempre perdendo de Zatopek, conseguiu a sua medalha de ouro. Nesta prova, Zatopek teve cãibras, ainda terminou em 6º e foi cumprimentar o francês campeão assim que chegou. Zatopek havia sido operado de hérnia do disco apenas 6 semanas antes. Mimoun, aos 35 anos venceu com 2:25.00.0 derrotando o Iugoslavo Franjo Mihalic com 2:26.32.0

Nos 800 metros o americano Malvin Whitfield que havia ganho medalha de ouro em 1952 e que havia servido na Guerra da Coréia entre os dois Jogos Olímpicos repete a sua medalha e igualando o seu próprio recorde olímpico com 1:49.2 e derrotando novamente o jamaicano Arthur Wint em 1:49.4

O soviético Vladimir Kuts venceu os 5.000 e 10.000 metros. Venceu primeiro os 10.000 metros em 28:45.6, novo recorde olímpico derrotando o húngaro Jozsef Kovacs com 28:52.4. Kunts começou a treinar apenas aos 23 anos quando foi descoberto servindo a marinha soviética. Nos 5000 metros Kuts venceu também em recorde olímpico com 13:39.6 derrotando o britânico Gordon Pirie que o havia derrotado em recorde mundial meses antes. Kuts faleceu em 1.975 aos 48 anos em seu 4] ataque cardíaco que muitos dizem se devido à carga excessiva de treinamento imposto pelos treinadores soviéticos.

No atletismo feminino o grande destaque foi a australiana Betty Cuthbert , de 18 anos que ganhou 3 medalhas de ouro, nos 100 metros em 11.5 nos 200 em 23.4 e nos 4 x 100 com novo recorde mundial em 44.5. Cuthbert nos Jogos de 1960 se lesionou logo em sua primeira prova e não conquistou medalhas e surpreendeu em 1964 em Tóquio ( 8 anos após ter conquistado suas 3 medalhas de ouro) ao vencer os 400 rasos em 52.0

O lançador de martelo americano Clifford Blair foi excluído dos Jogos por ter enviado de Melbourne artigos assinados para jornais americanos. O amadorismo da época não permitia mas, ao mesmo tempo, fechava os olhos para os atletas da URSS que “serviam” ao exército ou Estado.

A Austrália dominou amplamente a natação, com 8 medalhas de ouro e revelou a notável Dawn Fraser. No atletismo, a australiana Betty Cuthbert venceu os 100m e 200m e ajudou a sua equipe a vencer o 4 x 100.

Nos saltos ornamentais, a americana Pat M’Cornick, que já havia ganho 2 medalhas de ouro em Helsinqui, faturou mais 2 medalhas de ouro. Anos mais tarde, sua filha Kelly ganharia medalha de prata em 1984 e bronze em 1988.

O irlandês Ron Delany surpreendeu ao vencer os 1.500 metros rasos em 3:41.2 novo recorde olimpico. Na primeira volta estava em 10º lugar entre os 12 atletas da prova. Delany correu 53.8 os últimos 400 metros.

Um romance marcou a fraternidade que imperou em Melbourne. O americano Harold Conolly, campeão do lançamento do martelo, iniciou namoro com a tcheca Olga Fikotova, medalha de ouro no lançamento do disco. Casaram-se em Praga, em 1957, tendo Emil Zatopek como padrinho.

No boxe, o húngaro Laszlo Papp ganhou a terceira medalha de ouro aclamado pela torcida australiana.

Na ginástica masculina, a Rússia ganhou 17 medalhas, enquanto que o Japão recebeu 14. O destaque foi Viktor Tschukarin com 3 medalhas de ouro e 1 de bronze.

Na ginástica feminina, URSS e Hungria ficaram com 3 medalhas de ouro cada. O destaque foi a húngara Agnes Keleti, com 3 de ouro. A soviética Larissa Latynina, que obteve 18 medalhas olímpicas em sua carreira, foi o destaque de seu país.

No basquete, os EUA foram campeões novamente ao derrotar a URSS por 89 a 55.

No futebol, os soviéticos recebem a medalha de ouro ao derrotarem a Iugoslávia na final.

No hóquei, a Índia recebeu a sexta medalha de ouro consecutiva, derrotando o Paquistão na final.

No salto triplo, Adhemar Ferreira da Silva venceu com o recorde olímpico de 16,35m (nesse dia, em outros saltos, Adhemar fez 16,26m e 16,21m). Adhemar, falecido no inicio de 2.001 trabalhou no filme “Orfeu Negro”, que venceu o Festival de Cannes).

Este texto foi escrito por: Sergio Coutinho Nogueira

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts