25 anos da Chicago: feitos históricos numa maratona histórica

A edição histórica da Maratona de Chicago, que aconteceu hoje e completou 25 anos, além de consagrar o marroquino naturalizado americano Khalid Khannouchi, de 30 anos, como o rei das maratonas, marca definitivamente na história o nome da inglesa Paula Radcliffe como a primeira mulher a correr uma maratona abaixo das 2h18.

Kannouchi, o rei das maratonas

Khalid Kannouchi venceu pela quarta vez a Maratona de Chicago, com 2h05min56s, o quarto melhor tempo do mundo. Estreou vencendo em Chicago em 1997, com 2h07min10s, repetindo o feito em 1999, com 2h05min42s (recorde mundial na época), e em 2000, com 2h07min01s. Um fato interessante é que o atleta não correu nenhuma maratona em 2001, com o objetivo da quebra do recorde nesta temporada, marcada com duas vitórias nas principais maratonas. No dia 14 de abril, bateu pela segunda vez o recorde mundial, na Maratona de Londres, com 2h05min38s, média de 2min57s por quilômetro. Com o resultado obtido em Chicago, Kannouchi se consagra como o único homem na história das maratonas a correr por três vezes abaixo das 2h06.

Toda grande prova internacional só tem brilho com a participação das grandes estrelas do momento. Em Chicago, não foi diferente. Após a conquista do segundo lugar este ano na Maratona de Londres com 2h05min48s (a terceira melhor marca mundial), o queniano Paul Tergat, de 33 anos, (pentacampeão mundial de cross-country e também da São Silvestre), chegou na quarta colocação.

O marroquino Abdelkader El Mouaziz, de 33 anos, bicampeão da Maratona de Londres, em 1999 e 2001, foi o quinto colocado, com 2h06min46s. Até então, seu melhor tempo em maratona tinha sido estabelecido em Londres, com 2h06min52s, ocasião que chegou em quarto lugar.

Outro grande atleta presente na prova foi o queniano John Kagwe, de 33 anos, bicampeão da famosa Maratona de Nova York, em 1997 e 1998, que finalizou a prova em sétimo lugar, com 2h10min02s.

Confira os resultados do masculino

1. Khalid Khannouchi, 30, Estados Unidos, 2h05min56s
2. Daniel Njenga, 26, Quênia, 2h06min16s
3. Toshinari Takaoka, 32, Japão, 2h06min16s
4. Paul Tergat, 33, Quênia, 2h06min18s
5. Abdelkader El Mouaziz, 33, Morrocos, 2h06min46s
6. Alan Culpepper, 30, Estados Unidos, 2h09min41s
7. John Kagwe, 33, Quênia, 2h10min02s
8. Driss El Himer, 28, França, 2h11min51s
9. Peter Githuka, 33, Quênia, 2h12min43s
10. Tobias Hiskia, 25, África do Sul, 2h13min16s

Brasil tem retrospecto de vitórias em Chicago

Por quatro anos consecutivos, de 1991 a 1994, os brasileiros fizeram a festa na Maratona de Chicago, que está na sua 25ª edição e reúne hoje 37.500 corredores.

A brilhante vitória de Joseildo da Rocha em 1991, com 2h14min33s, abriu o caminho para outras vitórias de brasileiros. Em 1992, foi a vez de José César de Souza vencer, com 2h16min14s.

Bicampeão da prova, em 1993, com 2h13min15seg, e em 1994, com 2h11min16s, Luiz Antônio dos Santos recebeu uma justa homenagem dos organizadores do evento na comemoração dos 25 anos da Maratona de Chicago. Entre os executivos, o pioneiro foi o engenheiro Milton Magalhães Costa, assessor da presidência da Cesp, atleta da Run for Life, que em 1998, quando a prova contava com a participação de pouco mais de 20 mil corredores, foi para Chicago, finalizando a prova em 3h12min37s, até então seu melhor resultado, e abrindo caminho para outros brasileiros que lá estiveram. Nesta edição, foram cerca de 130 brasileiros. Um número ainda pequeno quando comparado aos tempos áureos de Nova York, que já atingiu quase 600 inscritos, mas que tende a crescer cada vez mais.

Paula Radcliffe bate recorde mundial

Paula Radcliffe nasceu no dia 17 de dezembro de 1973, em Nortwich, na Inglaterra. Aos 28 anos é considerada uma heroína entre os britânicos, pelos excepcionais resultados conquistados no atletismo internacional.

Na sua estréia em maratonas, em abril deste ano, em Londres, venceu a competição com o melhor resultado do ano, com 2h18min56s, e o melhor resultado de todos os tempos para uma estreante. Nessa mesma prova, chegou atrás apenas nove segundos do recorde mundial, que pertencia à queniana Catherine Ndereba, com 2h18min47s, estabelecido em Chicago
no ano passado.

Na sua segunda participação em maratona, Radcliffe confirma a grande fase e estabelece na Maratona de Chicago o novo recorde mundial, com o tempo de 2h17min18s, média de 3min15s por quilômetro.

A queniana Catherine Ndereba, de 30 anos, bicampeã das maratonas de Chicago e Boston (2000 e 2001) e detentora até então do recorde do mundial dos 42.195 metros, ficou com a segunda colocação.

A jovem atleta japonesa, Yoko Shibui, de 23 anos, vencedora da Maratona de Osaka do ano passado, chegou na terceira posição, com 2h21min22s, conquistando sua melhor marca na sua terceira participação na distância.

Confira os resultados do feminino:

1. Paula Radcliffe, 28, Inglaterra, 2h17min18s (recorde mundial)
2. Catherine Ndereba, 30, Quênia, 2h19min26s
3. Yoko Shibui, 23, Japão, 2h21min22s
4. Svetlana Zakahrova, 32, Rússia, 2h21min31s
5. Madina Biktagirova, 38, Rússia, 2h25min20s
6. Deena Drossin, 29, Estados Unidos, 2h26min53s
7. Kayoko Obata, 31, Japão, 2h28min15s
8. Nuta Olary, 32, Romênia, 2h31min37s
9. Masako Chiba, 26, Japão, 2h34min36s
10. Jeanne Hennessy, 24, Estados Unidos, 2h35min53s

Campeã olímpica corre em Chicago

Para abrilhantar ainda mais a Maratona de Chicago, o evento contou com a participação da americana Joan Benoit Samuelson, de 45 anos, a primeira campeã olímpica de maratona feminina na história.

Nos Jogos Olímpicos de 1984, realizados em Los Angeles, Samuelson venceu a prova com o tempo de 2h22min43s, estabelecendo o recorde mundial para a época, após uma artroscopia no joelho, que a deixou 17 dias longe dos treinos em piso duro, sendo obrigada a fazer a recuperação na piscina, quando então passou a ser divulgado mundialmente o método batizado de deep running ou corrida na água.

Foi a segunda participação da norte-americana na Maratona de Chicago. Em 1985, venceu a prova com 2h21min21s (atual recorde americano feminino). Este ano, aos 45 anos, completou a distância em 2h42min28s.

Atualmente, Joan Benoit Samuelson é técnica da equipe feminina de pista e cross-country da Universidade de Boston e continua treinando em média 160 quilômetros semanais.

Este texto foi escrito por: Wanderlei de Oliveira

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts