A influência do frio no organismo dos corredores

organismo frio corredores
Foto: Adobe Stock

Com o inverno a temperatura ambiente diminui e os efeitos disso também são sentidos pelo organismo, dessa forma, um atleta que não possui um bom condicionamento físico corre mais risco de sofrer lesões decorrentes do frio.

Nos dias frios, o corpo parece “enrijecer” e existe uma maior resistência em relação à prática de atividade física, pois o frio promove diminuição do nosso metabolismo com redução da frequência respiratória, cardíaca, pressão arterial, dentre outras alterações.

+ Participe de uma corrida virtual, escolha sua prova!

Por isso, há uma necessidade maior do organismo em adaptar-se a esta nova situação: os exercícios de aquecimento e alongamento devem ser feitos com maior atenção afim de evitar lesões músculo-esqueléticas como estiramentos, entorses, cãibras e outras lesões que tendem a acontecer quando as temperaturas estão mais amenas.

Fique atento

Além disso, quando a temperatura do ambiente é inferior à do corpo humano, o indivíduo pode sofrer a hipotermia ou resfriamento geral do organismo. Outras condições ambientais como vento e água podem influenciar nas alterações de temperatura corporal.

Quando o atleta queixa-se de frio e começa a tremer, há uma tentativa de aquecer-se e o tremor causa uma fonte de calor (a curto prazo), aumentando o metabolismo corporal. O desejo de aquecer-se substitui o interesse pela atividade física (hipotermia leve). Se o resfriamento continua, há sinais de comprometimento nervoso e muscular devido à redução do volume de sangue bombeado pelo coração e aumento de sua viscosidade, dificultando a irrigação do corpo e do cérebro, podendo resultar em anóxia (ausência de oxigênio no sangue e/ou tecidos).

Como proteger o seu organismo no frio?

As condições ambientais são um misto de ar, vento e umidade, por isso deve-se estar bem atento às estas variáveis no local da prática física. Algumas das orientações recomendadas pela National Collegiate Athletic Association ressaltam (adaptado de Starkey C. & Ryan J. (ed), 1a, p.520, 2001):

1. Dieta equilibrada e com mais substratos energéticos, como estimulantes e carboidratos;
2. Uso de roupas apropriadas e manter-se seco – camadas de roupas (térmica e corta vento impermeável) para estabelecer um melhor aquecimento, evitando materiais como algodão que retém a umidade e podem contribuir para uma maior perda de calor;
3. Proteção das mãos e cabeça, pois pode haver perda de até 50% do calor do corpo pela cabeça;
4. Hidratação adequada, beba água de tempos em tempos mesmo se não estiver com muita sede;
5. Não comece o treino “do nada”, exercícios de aquecimento e alongamento precisam ser feitos antes da atividade física.

Num caso de hipotermia, o indivíduo deve ser removido do local para um ambiente aquecido com seu corpo seco (o aquecimento deve ser gradual, afim de evitar um choque térmico), mas evite que ele durma (para que o metabolismo não diminua ainda mais).

Não custa lembrar que um condicionamento apropriado ajuda um atleta a adaptar-se tanto à ambientes quentes como frios!

+ Escolha seu próximo desafio na corrida!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts