Administrando o seu ritmo de prova

Por algumas vezes eu disse que se autoconhecer é uma das principais, se não a principal, capacidade que um corredor de montanha deve aprimorar por diversas razões, dentre elas está saber administrar o ritmo de prova sem necessitar de nenhum equipamento.

Calma, eu não sou contra usar monitor de frequência cardíaca/GPS em provas. Muito pelo contrário, pois esse equipamento traz informações importantíssimas para o treinador analisar como o seu atleta se comportou durante uma competição.

Porém, nas provas de montanha não é possível utilizar o pace como controle de ritmo, uma vez que a presença constante de aclives e declives, nos mais diferenciados pisos, impossibilita o atleta de sustentar um mesmo pace por muito tempo.

Foto: Fotolia

+ Faça sua inscrição para sua próxima corrida de rua aqui!
+ Siga o Webrun no Instagram!

A frequência cardíaca até poderia ser um bom indicador, porém nem todos os monitores possuem alertas para avisar quando estamos abaixo ou acima de uma zona pré-determinada de intensidade.

A potência por sua vez ainda é um indicador que necessita de muitos estudos e aperfeiçoamentos dos monitores e sensores, para que os dados gerados tornem-se mais confiáveis e fidedignos.

Dessa forma, o que nos resta é a Percepção Subjetiva de Esforço (PSE) que nada mais é do que a autoavaliação sobre o nível de intensidade da corrida. A PSE deve ser aprimorada principalmente durante os treinos, através da comparação da sua própria percepção momentânea com os dados exibidos em seu monitor. Assim, você passará a entender ainda mais como se sente em um determinado nível de esforço.

Por exemplo: com o passar do tempo você conseguirá pré determinar o pace em que está correndo no plano ou conseguirá “encaixar” o melhor ritmo de corrida, para assim zerar uma determinada subida sem a necessidade de ficar olhando no visor do seu monitor.

Fique atento a si mesmo durante os treinos para que a sua PSE fique cada vez mais apurada, isso ajudará muito na sua próxima competição de corrida de montanha.

Leia também:

– Fortaleça a lombar e melhore a sua performance
– Alimentação pré e pós treino: o que consumir?

– Exercícios para manter o core fortalecido
– 6 dicas para começar adotar hábitos saudáveis 
– Má postura no exercício ou no dia a dia? Dor no ombro ao correr? Confira as dicas do ortopedista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sidney Togumi

Sidney Togumi

Ultramaratonista e bacharel em Educação Física, Togumi é treinador da UPFITRAIL Assessoria Esportiva, onde atende os principais atletas do trail running nacional. Representante ITRA no Brasil, Assessor CBAt - Confederação Brasileira de Atletismo para Trail Running, palestrante, Pós Graduado em Treinamento Desportivo - UNIFESP e Especialista em Treinamento Desportivo - Havana/Cuba.

Ver todos os posts