Alimentos funcionais e o coração (Parte II)

Continuando o assunto “Você é o que você come” agora é a hora de falarmos sobre cada um dos principais alimentos funcionais e seus benefícios comprovados por estudos idôneos da Associação Americana do Coração e da Sociedade Brasileira de Cardiologia: soja, a aveia, fitoesteróis, antioxidantes e ômega 3.

Soja – Produtos a base de soja se relacionam com a prevenção de aterosclerose por ação antioxidantes das isoflavonas sobre as gorduras circulantes no sangue e ainda pela presença de fibras solúveis na sua estrutura. A proteína de soja pode reduzir os níveis de colesterol total e LDL (colesterol ruim). Alimentos a base de soja são encontrados em grãos de soja, queijos (“tofu”), molhos (“shoyo”), farinhas, leites de soja (extrato) e sucos, todos bem vindos na sua alimentação.

Aveia- É um cereal de alta qualidade nutricional, rica em proteínas, seu alto teor de vitaminas também lhe confere propriedade antioxidante, possue parte de carboidratos do tipo solúvel em grande quantidade, o que é muito importante. Dietas ricas em aveia ou farelo de aveia e pobres em gordura saturada e colesterol podem reduzir o risco de doenças coronarianas.

Fitoesteróis – São esteróis vegetais, naturais de sementes de girassol e grão de soja que interferem na absorção do colesterol a partir do intestino e reduzem os valores de colesterol total e LDL. As principais fontes são: margarinas especiais enriquecidas com e qualquer óleo vegetal. Pesquisas demonstram que o consumo de 20g de margarina enriquecida com fitoesterol, diminui o LDL em 10 a 15% em 3 semanas.

Flavonóides Antioxidantes – São encontrados em: verduras, frutas, grãos, sementes, castanhas, condimentos, bebidas como o vinho tinto, sucos de uva e chás (preto e verde). Estas substâncias dificultam a ligação das placas de gordura nas membranas dos vasos sanguíneos e também possuem ação anticoagulante.

Alguns estudos comprovam que os efeitos destes flavonóides ocorrem no consumo de vinho tinto e de suco de uva, pela diminuição do LDL no sangue.

Omega 3 – São ácidos graxos (tipo de gordura) encontrados em alguns peixes gordurosos que vivem em águas profundas. São ricos em ácidos graxos omega-3 o salmão, atum, arenque, cavala e a nossa popular sardinha que, aliás, possuem um dos mais altos teores. Consumidos (nunca fritar) regularmente reduzem moderadamente os níveis de triglicérides, diminuem a agregação das plaquetas e reduzem a pressão arterial. Não há dúvidas de que a alimentação exerce papel fundamental no desenvolvimento da aterosclerose das coronárias e que uma dieta balanceada pode atenuar seu aparecimento, devendo ser introduzida precocemente nos hábitos de nossas vidas. Estas mudanças não incluem somente alterações na alimentação mas também a mudança no estilo de vida, como aliviar o estresse com descanso/laser, praticar atividade física, etc.

Até breve!

Colaborou a nutricionista Miriam Topein Ghorayeb, da SOCESP Socidade de Cardiologia do Estado de São Paulo.

Este texto foi escrito por: MD PhD. Nabil Ghoarayeb

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts