Amadores usam Troféu Brasil para ganhar destaque

A Raia olímpica da USP é utilizada para o trecho de natação (foto: Ricardo Leizer/ Webrun)
A Raia olímpica da USP é utilizada para o trecho de natação (foto: Ricardo Leizer/ Webrun)

A segunda etapa do Troféu Brasil de Triathlon acontece no próximo domingo (23) na USP conta com alguns atletas amadores no pelotão, que buscam seu espaço. Ao todo, a prova conta com 800 competidores, sendo a maioria amadores que começaram tarde na modalidade ou jovens talentos.

Um exemplo é Carla Prada, 35 anos, esposa do velejador Bruno Prada (companheiros de Robert Scheidt na classe Star). Ela compete há pouco mais de um ano e já se destaca como a número 1 em sua categoria, com os melhores tempos entre as mulheres.

Ela já venceu o Triathlon Internacional de Santos e a etapa inicial do Troféu Brasil (com o 2º melhor tempo entre todas as amadoras), mas não pensa em se profissionalizar. “Não tenho grandes planos. Vou fazendo o que dá para fazer. Minha prioridade é a minha família, os meus filhos (2 e 4 anos). Tive bons resultados na categoria, mas estou muito aquém do profissional”.

A grande dificuldade para ela e para outros atletas é o patrocínio. Assim, ela conta com a colaboração do marido Bruno e de uma marca um tanto quanto curiosa: Rá-Tim-Bum. “Na verdade não tenho patrocínio, a não ser o maridocínio. Inventamos isso por causa das crianças. O Bruno é muito brincalhão”, afirma.

A largada da prova é às 8h na USP e a premiação está prevista para as 11h30. Os kits serão entregues no sábado (22). A prova não contará com muitos atletas de peso, pois no sábado acontece o Campeonato Brasileiro de Triatlhon, primeira seletiva para o Pan 2007 do RJ.

Este texto foi escrito por: Webrun

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts