Anfetaminas: substâncias ilegais que podem estar no seu suplemento

Anfetaminas são drogas ilícitas produzidas em laboratório (foto: Niels Rameckers/ stock.xchng)
Anfetaminas são drogas ilícitas produzidas em laboratório (foto: Niels Rameckers/ stock.xchng)

Depois de começar a realizar exercícios físicos regulares, é comum o atleta buscar um suplemento que consiga repor a deficiência de nutrientes gastos em suas novas atividades. Porém, utilizar produtos do mercado sem acompanhamento de um nutricionista ou que tenham substâncias ilegais podem trazer sérias consequências.

Alguns tipos de suplementos contêm anfetaminas, drogas sintéticas que têm como efeito uma grande necessidade de movimento e o aumento da capacidade física do usuário, ou seja, a pessoa sob efeito da droga é capaz de praticar atividades que normalmente não conseguiria. Essas substâncias são ilegais e proibidas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em todo o território nacional.

Em um caso mais recente, a imprensa britânica divulgou em fevereiro deste ano que a cabeleireira inglesa Claire Squires morreu enquanto participava da Maratona de Londres, em abril de 2012, vítima de uma parada cardíaca possivelmente provocada pelo suplemento Jack3D. O “pré-treino” ilegal tem como principal composto o 1,3- dimetilaminamina (DMAA), um tipo de anfetamina estimulante que pode causar até acidentes vasculares cerebrais.

Dentro da cabeça– Além dos problemas físicos causados pelas anfetaminas, elas também podem afetar o sistema nervoso. “Esse tipo de droga age interferindo na dopamina e noradrenalina, que têm funções fisiológicas e comportamentais como regular apetite, saciedade, vigília e funções psíquicas”, explica Alexandra Maximo Alonso, psicóloga especialista em dependência química.

A profissional também explica que, depois de consumir a droga, a substância demora de 15 a 30 minutos para dar ao atleta sensações de “super herói”. “Isso ocorre porque as anfetaminas aumentam a resistência nervosa, muscular, a capacidade respiratória e a tensão arterial. Também ocorre o aumento do grau de confiança, que pode resultar numa diminuição da autocrítica”, conta a especialista.

Na linha de chegada– Depois de alguns momentos, o corredor fica com as pupilas dilatadas, ativo, inquieto e extrovertido. A sensação de bem estar vai embora entre seis e 12 horas após se ingerido (dependendo da via de ingestão) e dá lugar às reações adversas, como sede, desidratação (causada pela transpiração e diarreia), taquicardia, náuseas, má disposição, dor de cabeça, tonturas, vertigens e sono conturbado.

Quando se encontra sóbrio novamente, o usuário tem baixa autoconfiança, e busca novas doses para voltar a ter o aumento da capacidade corporal e psíquica. “Para se obter o mesmo efeito é preciso aumentar a dose da droga e seu uso contínuo pode levar à degeneração das células cerebrais”, conclui a psicóloga.

Este texto foi escrito por: Rafaela Castilho

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts