Atleta brasileiro pode conquistar Green Number na Comrades Marathon

O atleta deve completar 1.450 quilômetros de treino (foto: Arquivo pessoal)
O atleta deve completar 1.450 quilômetros de treino (foto: Arquivo pessoal)

A Comrades Marathon 2011, ultramaratona que acontece entre as cidades sul-africanas de Durban e Pietermaritzburg, será no dia 29 de maio, onde o ultramaratonista Nato Amaral irá correr a prova pela décima vez e conquistará o “Green Nunmber”. Este ano a prova será realizada no modelo “Up run”, que vai de Durban a Pietermaritzburg, e tem exatamente 86,96 quilômetros.

Preparação – Neste ano Nato Amaral completou como treino a Maratona de Londres e a Two Oceans Ultra, com percurso de 56 quilômetros. “Desde o dia primeiro de janeiro até o dia da prova devo totalizar 1.450 quilômetros de treino”, completa o atleta.

Ele acredita que o fator experiência pesa muito na prova, mas que se sente preparado não apenas porque irá completar a competição pela décima vez, mas porque treinou muito e seu planejamento de treino, alimentação, musculação foi muito bom. “A carga emocional pra mim é muito grande por causa da expectativa elevada envolvida nesta prova. Mas eu consigo controlar isso com facilidade, sem problema”, fala Nato.

Green Number – A prova, que foi criada em 1921, possui 8.809 corredores que conquistaram seu número diferenciado. São membros de um exclusivo grupo que tem uma relação especial com a Comrades. “Já fiz várias outras maratonas, mas nada se compara com 89 quilômetros da Comrades”, conta Nato.

Ele completará sua décima edição da competição no próximo dia 29 e se sente realizado com a conquista após tantos anos construindo este sonho. “Aguardar os dez anos para chegar neste ponto não foi fácil, então a sensação é de enorme realização”, revela Nato.

Ele diz que a emoção ao cruzar a linha de chegada é uma emoção extraordinária porque muitas coisas passam por sua cabeça, como os meses de treinamento, os anos de dedicação e as coisas que já abdicou para conquistar seu objetivo. “É uma emoção incrível, única e incomparável”, diz o corredor.

De acordo com o ultramaratonista, a edição da Comrades em que teve mais dificuldade foi a de 2003, quando participou pela segunda na corrida. “Foi bem difícil porque eu estava com uma dor muito forte no joelho e corri quase a prova inteira suportando a dor, essa foi uma das mais difíceis e mesmo assim consegui fazer um bom tempo”, conta.

Este ano sua esposa acompanhará sua chegada novamente e sua mãe, Edith Amaral, irá assistir à conquista do atleta pela primeira vez. “Ela está indo me ver correr, então para ela também vai ser uma emoção fora do normal”, finaliza o atleta que conquistará o Green Number na Comrades, prova que reunirá 19 mil participantes.

Este texto foi escrito por: Mariana Araujo

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts