Atleta vende picolés para correr Beto Carrero

Andréa cprre representando o frevo de sua cidade (foto: Eduardo Iezzi/ www.webrun.com.br)
Andréa cprre representando o frevo de sua cidade (foto: Eduardo Iezzi/ www.webrun.com.br)
Os amigos José Henrique Coutinho e Andréa Diniz, inscritos na Maratona Beto Carrero, que acontece nesse sábado (05) em Penha (SC), lutaram muito para conseguir arcar com os custos de inscrição, passagem aérea e hospedagem para a competição. Moradores de Jaboatão dos Guararapes, município vizinho à capital pernambucana Recife, eles juntaram dinheiro vendendo picolés na praia. Veja a história.

São Paulo – A professora de educação infantil e o ex-jardineiro e atual vendedor de picolés se conheceram nas corridas há cerca de quatro anos. Desde então sempre participam juntos de diversas competições na região onde moram (PE).

Tudo começou em 2004, ano que Andréa se separou do marido e na época começou a procurar uma dupla para treinar. Foi quando ela conheceu José, membro do clube Corredores do Recife. “Meu ex-marido disse para eu viver a minha vida com as corridas e foi aí que eu conheci o José, meu companheiro de treinos”, lembra Andréa.

Desde então eles treinam diariamente logo de manhã. “Ele vem correndo da casa dele até a minha casa, cerca de 10 quilômetros, e só depois começamos os treinos”, revela Andréa. Depois do exercício matinal, Andréa vai lecionar e segundo ela, seus alunos adoram ter uma professora que também é uma corredora. Já José segue para a praia com seus picolés.

E foi com picolés que ele arrecadou dinheiro para a Maratona do Beto Carrero. Para isso, José teve que vender cinco mil picolés na praia, cada um a R$0,25. “Consegui vender tudo em mais ou menos um mês”, conta o atleta de 48 anos que caminha cerca de 50 quilômetros diários para vender sua mercadoria.

Já Andréa pôde bancar as próprias despesas, pois tem um salário fixo, ao contrário do companheiro, que em dias de chuva, por exemplo, sofre com a falta de consumidores nas areias do nordeste.

Sonho – Mas os dois não se importam com as adversidades e encontram maneiras inusitadas de realizarem os sonhos. Essa será a segunda maratona de revezamento da dupla, que já participou de uma competição parecida na Bahia. “Lá ficamos em segundo lugar, quem sabe não conseguimos um pódio sábado”, diz o esperançoso atleta.

A dupla batizada de “anjo” tem dois significados: a união das inicias dos nomes Andréa e José, além de ser uma prece aos anjos do céu, para que eles consigam patrocínio e possam correr mais provas pelo Brasil. E para aqueles que pensam que o relacionamento dos dois vai álém, enganam-se. De acordo com José, eles são apenas bons amigos com objetivos parecidos.

A Maratona Beto Carrero tem largarda às 8h em frente à atração Big Tower, na cidade de Penha, em Santa Catarina.

Este texto foi escrito por: Alexandre Koda

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts