Maratona de Tóquio abre a temporada das Majors

É hoje. Para aqueles que quiserem acompanhar a Maratona de Tóquio pela TV, a prova será transmitida ao vivo a partir das 21h na ESPN 2 (9h da manhã do domingo pelo fuso horário local). O evento abre oficialmente a temporada das Majors 2019.

Fotos: Fernanda Paradizo / @fparadizo

Foto: Fernanda Paradizo

Apesar de ser uma maratona relativamente nova, com apenas 12 anos (a 1ª edição foi em 2007), a Maratona de Tóquio já nasceu grande. E, quando foi anunciada em 2013 para compor a circuito das grandes maratonas do mundo, antes formado por Boston, Londres, Berlim, Chicago e Nova York, não demorou muito para começar a fazer sucesso entre os amadores, principalmente quando foi criada a Six Medal, em 2016, que premia os corredores que completam as seis provas do circuito.

Este ano, serão 740 os atletas que finalizam a mandala das Majors e receberão a Six Medal logo após cruzar a linha de chegada. Com as medalhas distribuídas em Tóquio, a The Abbott World Marathon Majors  alcançará a marca de 5 mil finalistas.

A quantidade de brasileiros na prova também têm aumentado ano a ano. Foram 90 no ano passado e 74 em 2017. Este ano o número ainda não foi divulgado, mas promete ser muito maior.

Brasileiros em TóquioA Kamel Turismo é a única agência oficial no Brasil autorizada a comercializar pacotes com inscrição garantida para a prova japonesa. Os outros métodos para conseguir inscrição são por meio da loteria, caridade e índice técnico, com o programa Run as One, que privilegia apenas 300 atletas, com tempos entre 2:21:01 e 2:45:00 para homens e 2:52:01 e 3:30:00 para mulheres.

Disputa da elite

A única versão oriental das Majors promete disputa forte entre os atletas de elite e quem sabe, às vésperas dos Jogos de Tóquio 2020, coroar a vitória de um japonês. Mesmo com um startlist com 4 atletas com tempos abaixo de 2:05, os especialistas (veja análise feita pelo site Let’s Run, que faz também uma menção à nova safra de maratonistas japoneses) depositam toda a confiança em Suguru Osako, que é o 6º melhor tempo na elite, com 2:05:50 (3º lugar em Chicago 2018, quando bateu o recorde japonês na maratona), e uma das grandes esperanças do país.

As expectativas em relação a Osako aumentaram ainda mais depois da desistência de dois fortes candidatos ao título: o etíope Kenenisa Bekele (2:03:03 em Berlim 2016) e o queniano Marius Kipserem (2:04:04 em Abu Dhabi 2018).

Com apenas três maratonas na carreira, Osako terá como principal adversário o queniano Dickson Chumba (2:04:32 em Chicago 2014), bicampeão em Tóquio (2014 e 2018). Outros atletas do startlist que merecem atenção são os etíopes Birhanu Legese (2:04:15 em Dubai 2018) e Seifu Tura (2:04:44 em Dubai 2018), além de El Hassan Abbassi (2:04:43 em Valência 2018), do Bahrein.

No feminino, destaque para a etíope Ruti Aga, que foi vice-campeã da Maratona de Berlim 2018 com impressionantes 2:18:34, além de vice em Tóquio no ano passado, com 2:21:19. As etíopes Boru Feyse Tadese (2:19:30 em Dubai 2018) e Yebrgual Melese (2:19:36 em Dubai 2018) e a experiente queniana Florence Kiplagat (2:19:44 em Berlim 2011 e bicampeã em Berlim e Chicago) são os outros destaques sub 2h20 da lista. A melhor atleta local é a japonesa Honami Maeda, que foi vice na Maratona de Osaka 2018 com 2:23:48.

O site Let’s Run também faz uma excelente análise do que esperar da prova feminina.

1,6 milhões de pessoas nas ruas
Largada da Maratona de TóquioO evento impressiona não apenas pela quantidade de participantes – cerca de 38 mil, sendo 7 mil estrangeiros –, mas principalmente pela grande organização e apoio da cidade, que abraça os participantes no dia da maratona e transforma todo o trajeto num emaranhado de gente gritando, vibrando e torcendo. Cerca de 1,6 milhões de espectadores vão às ruas para apoiar os corredores.

A previsão do tempo para a prova é frio e possibilidade de chuva, o que pode atrapalhar um pouco a performance dos corredores. A temperatura deve ficar entre 5 e 13 graus.

O recorde do percurso da Maratona de Tóquio pertence ao queniano e ex-recordista mundial Wilson Kipsang, que marcou 2:03:58 em 2017, ano em que a prova ganhou um trajeto mais plano, mais rápido e com mais atrativos turísticos.

Comentários

Conexão Corrida
Fernanda Paradizo é jornalista e fotógrafa esportiva.Viaja pelo mundo para cobrir provas internacionais e é corredora desde 1993, com 9 maratonas completadas. Seu trabalho já rendeu várias reportagens de capa em revistas, muitas coberturas especias de corrida, triathlon e atletismo e até fotos expostas no Museu da Cidade de Nova York. Aqui, no Conexão Corrida, ela vai escrever sobre maratonas e corridas ao redor do mundo, compartilhar suas experiências de viagem e dar dicas para quem adora viajar para correr. Instagram: @fparadizo

Posts do Autor

Publicidade

Calculadoras Webrun

Publicidade