Brasil faz a festa no Mundialito de Fast Triathlon

O Brasil fez a festa completa no Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Masculino, neste domingo (dia 9), na Ponta da Praia, em Santos, garantindo tanto o título por equipes quanto o individual, com o experiente Leandro Macedo, quebrando um jejum de quatro anos. Disputada sob um forte calor e muita umidade, a competição reuniu 18 triatletas de seis países, que completaram três baterias (com pequenos intervalos para descanso), com 200 metros de natação, 3.600 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida.

Contando com os três atletas que disputam o Circuito Mundial, o gaúcho radicado em Brasília, Leandro Macedo, o santista Paulo Miyasiro e o curitibano Juraci Moreira Júnior (os três da equipe Pão de Açúcar), o Brasil venceu com tranquilidade por equipes. Somou 124 pontos, contra 107 dos Estados Unidos e quase o dobro da África do Sul, que marcou 64. Os argentinos ficaram em 4º lugar, com 59, seguidos dos canadenses, com 44 e dos japoneses, com 24.

Mais velho competidor na prova, com 34 anos de idade, Leandro Macedo deu um verdadeiro show. Venceu as duas baterias iniciais e confirmou o título com o 2º lugar na última disputa. O momento mais empolgante foi a chegada da 2ª prova, quando ele superou o sul-africano Claude Eksteen, num sprint fantástico, nos últimos 100 metros. “Essa prova deveria ser proibida para maiores de 30 anos”, brincou Leandro.

“Treinei certinho para esta prova. Vendi as minhas férias, mas valeu a pena para fazer a alegria desta galera”, comentou Leandro, referindo-se à grande torcida que lotou toda a área da prova e incentivou o tempo todo a equipe do Brasil. “A torcida me ajudou muito. A vibração ajudou a me interiorizar e buscar força”, destacou o vencedor, que usa a meditação transcendental para se concentrar nas provas.

SEM CHANCE PARA O AZAR – Para Leandro, a experiência prevaleceu. “Este título é uma realização pessoal, que eu vinha perseguindo faz tempo. Levei quatro anos para aprender a competir neste tipo de prova. A experiência conta muito”, disse o triatleta, que mudou a sua tática pessoal no meio da disputa. “O certo é vencer a 1ª bateria, descansar na 2ª e ir com tudo na última, mas não quis dar chance para o azar. Não gosto de arriscar. Eu iria par a vitória na 3ª disputa, se a 2ª não tivesse sido tão desgastante”, afirmou Leandro.

Agora, as prioridades na temporada são os Jogos Pan-Americanos, em agosto, na República Dominicana, e as etapas do Circuito Mundial. “Quero voltar a estar entre os 20 melhores do ranking e ser novamente o melhor corredor do Circuito”, completou o campeão, que já garantiu este feito em 1991 e 96.

Os dois grandes rivais de Leandro na prova, o norte-americano Brian Fleischmann, vice-campeão, e o sul-africano Claude Eksteen, 3º colocado, ficaram impressionados com a força do brasileiro. “Ele foi muito bem. Fiquei feliz em conseguir segura-lo na última bateria. Dosei a distância e mantive”, afirmou o triatleta, de 24 anos, que mora em Colorado Springs e competiu pela 1ª vez no Fast Triathlon. “No ano que vem, vou me preparar para este tipo de prova”, revelou o vice-campeão.

SHIRO LEVANTA A TORCIDA – Outro momento emocionante na prova foi o grande desempenho de Paulo Miyasiro, o Shiro, na última bateria. Considerado um dos melhores nadadores do Circuito Mundial de Triathlon, ele confirmou a fama e abriu 10 segundos na natação. Depois na bike, manteve a vantagem, para a satisfação da torcida local, que vibrou muito com o melhor triatleta da Cidade. Só foi ultrapassado no final da corrida.

“Foi muito bom competir em casa e ver esta torcida gritando. Foi buscar forças no final, motivado por eles”, afirmou Shiro, enrolado na bandeira da Cidade, que terminou na 4ª colocação no geral. Juraci Moreira foi o 5º colocado e o argentino radicado em Santos há sete anos, Oscar Galindez, ficou na 6ª colocação. Vale destacar que atualmente Juraci é o melhor sul-americano no ranking mundial, ocupando a 23ª colocação, e Galindez foi o campeão do Fast em 1999, no Desafio Brasil x Argentina, e o vice em 2000 e 2001.

“Esta prova é uma disputa por equipes. Viemos para buscar o título para o Brasil. Fizemos um grande trabalho de equipe e isso é que vale a pena”, comentou Juraci. “Tinha convicção de que o nosso time faria bonito. Os três treinaram para esta prova e vieram determinados”, comemorou o técnico da seleção brasileira, Marcos Paulo Reis. Em janeiro também em Santos, a equipe brasileira fez bonito no Mundialito de Fast Triathlon Feminino, com a dobradinha com a paulista Carla Moreno e a carioca Sandra Soldan na disputa individual.

O 3º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Masculino fez parte dos Jogos Mundiais de Verão da Rede Globo e teve o patrocínio de Coca-Cola, Sedex 10, Mastercard, Oi e Fisk. Co-patrocínio: Prefeitura de Santos, Banco do Brasil e Pão de Açúcar. Realização: Rede Globo. Organização: Gayotto De Luca Marketing e Eventos Esportivos.

RESULTADOS FINAIS

INDIVIDUAL
1 LEANDRO MACEDO (BRASIL) 52 PONTOS
2 BRIAN FLEISCHMANN (EUA) 48
3 CLAUDE EKSTEEN (ÁFRICA DO SUL) 41
4 PAULO MIYASIRO (BRASIL) 37
5 JURACI MOREIRA JÚNIOR (BRASIL) 35
6 OSCAR GALINDEZ (ARGENTINA) 32

EQUIPES
1 BRASIL 124 PONTOS
2 EUA 107
3 ÁFRICA DO SUL 64
4 ARGENTINA 59
5 CANADÁ 44
6 JAPÃO – 24

FÁBIO MARADEI – FMA COMUNICAÇÃO
TELEFONES (13) 3239.2139 – 9761.4003
E-MAIL: fmaradei@atribuna.com.br

Este texto foi escrito por: Fabio Maradei

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts