Brasil fecha atletismo em Rosário com 23 medalhas

O Brasil fechou o último dia de disputas do atletismo nos Jogos Sul-Americanos da Juventude com 6 medalhas (3 de ouro, 1 de prata e 2 de bronze), no domingo (8/5), no Estádio Municipal Jorge Newbery de Rosário, Argentina. No total, após quatro dias de disputas, o atletismo do Brasil somou 23 medalhas (12 de ouro, 3 de prata e 8 de bronze).

Vanessa Sena dos Santos (AD Centro Olímpico-SP), que havia ganhado o salto em distância, conquistou mais uma medalha de ouro, desta vez nos 200 m – venceu a prova em 24.40 (1.1 m/s). O Brasil ainda teve dobradinha no pódio com a medalha de prata de Júlia Rocha Ribeiro (IPEC-PR), com 25.22. A equatoriana Nicola Cãnola Pluas ficou com o bronze (25.30).

“Essa competição foi muito importante para mim, fiquei muito feliz por ter conseguido conquistar dois ouros. Mas é melhorar cada vez mais e ir para cima porque tem muito mais por aí. O meu objetivo é melhorar e conseguir mais medalhas em outros campeonatos”, disse Vanessa. Aos 16 anos, ela disse que sonha no futuro, “em competir nos Jogos Olímpicos e com uma medalha no peito”.

Vanessa vai representar o Brasil na Gymnasíade – o Mundial Escolar – em maio, na França, e tem qualificação para o Campeonato Pan-Americano, em junho. Tem três índices para o Campeonato Mundial Sub-20 de Cáli (COL), de 1 a 6 de agosto. No salto em distância, com 6,35 m e nos 200 m com 24.03 (0.8), feitos no Brasileiro Sub-20. No Torneio Internacional São Paulo (27/4), entre adultos, correu os 100 m em 11.82 (-0.8) – bateu a marca de 11.90 fixada como mínima pela World Athletics.

Julia Aparecida Rocha Ribeiro (IPEC-PR) já havia conquistado ouro nos 400 m com marca que é índice para o Mundial Sub-20 de Cáli – fez uma prova perfeita e completou a distância em 55.11, seu recorde pessoal (55.20 é a marca fixada pela World Athletics).

+ Não perca nenhuma! O seu calendário completo de corridas está aqui!

Amanda Miranda da Silva (PM Cianorte-PR) venceu os 400 m com barreiras feminino, com 1:01.94, seguida pelas argentinas Renata Godoy (1:01.98) e Helen Bernard Stilling (1:093.12). Amanda, que nasceu em Cianorte, Paraná, e faz atletismo na equipe da Prefeitura Municipal há quatro anos, já havia brilhado no Brasileiro Sub-20 com ouro nos 400 m com barreiras (1:00.55) e índice para o Mundial Sub-20 de Cáli (COL), superando a marca mínima de 1:01.00 da World Athletics.

“Não foi uma das minhas melhores provas por causa dos muitos erros técnicos, mas tive resiliência, não desisti e estou muito feliz com a medalha de ouro”, disse Amanda sobre a prova e o pódio em Rosário.

A outra medalha de ouro veio com Vinícius de Brito (Rio do Sul-SC) nos 400 m com barreiras que teve a companhia no pódio do venezuelano Josue Lara Mejias (44.42) e do equatoriano Andrey Pata Reasco (55.59).

“Foi uma prova bem disputada. No aquecimento, eu estava errando algumas barreiras e fiquei com um pouco de receio, mas graças a Deus consegui fazer uma boa prova. Eu vi meus oponentes chegando, mas pensei: ‘vou ser campeão sul-americano, levar essa medalha para casa'”, disse Vinícius.

Brasil fecha atletismo em Rosário com 23 medalhas
Paulo Henrique (Foto: William Lucas/ COB)

Mais uma medalha de ouro veio com o revezamento 4×400 m misto. O Brasil teve Paulo Henrique Ferreira da Silva, Amanda Miranda da Silva, Julia Rocha Ribeiro e Vinícius Moura Galeno e o tempo de 3.33.45. O Equador ficou com a prata com 3.40.86 e a Argentina com o bronze com 3.42.38.

O revezamento foi formado por vários destaques do atletismo brasileiro em Rosário. Paulo Henrique (IPEC-PR) já havia vencido os 110 m com barreiras na sexta-feira (6/5) com 13.72 (1.4), estabelecendo novo recorde do campeonato. Amanda Miranda Silva (Cianorte-PR) voltou a pista após ganhar os 400 m com barreiras, Júlia Rocha Ribeiro (IPEC-PR) já tinha ouro nos 400 m, com índice para o Mundial Sub-20, e prata nos 200 m, e Vinícius Galeno (CASO), ouro nos 400 m.

Um das medalhas de bronze do Brasil no último dia de disputas veio no lançamento do martelo com Luís Felipe Abílio Gomes Barbosa (IPEC-PR) e a marca de 64,96 m. O ouro foi conquistado por Ernesto Barra, do Chile, com 71,56 m, e a prata com Juan Sebastián Rojas, da Colômbia, com 65,44 m.

O outro bronze foi ganho por Adrian Martins de Oliveira (Clã Delfos-MG) no arremesso do peso (15,61 m). O equatoriano Erick Quiñonez ficou com o ouro (17,31 m) e o chileno Ernesto Barra voltou ao pódio com a prata (16,24 m)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts