Brasil fica com três medalhas nos 100m da T11

*Atualizada às 16h57

O Brasil conquistou os três degraus do pódio nos 100m rasos da classe T11, para atletas cegos. Lucas Prado marcou 11seg29 e, além da medalha de ouro estabeleceu um novo Recorde Parapan-americano e Mundial, à frente de Felipe Gomes (11seg66) e Hilário Neto (11seg72).

Lucas fez uma prova de superação, já que ainda está lesionado, com uma fratura na tíbia, mas disse que deixará para depois da competição o tratamento. No início do mês, o paraatleta marcou 11seg26 no Mundial de Cegos em São Paulo.

“A dor é muito grande, mas durante a competição eu esqueço, junto com um trabalho de fisioterapia”, ressalta Lucas. Ele ainda vai competir nos 200m e 400m e pretende bater o Recorde Mundial em ambas.

Após o Parapan ele já pensa em Pequim, onde pretende fazer uma marca ainda melhor. “Vou treinar para ser o primeiro atleta paraolímpico a fazer um tempo inferior a 11 segundos. Tenho que parar 25 dias para me recuperar de uma fratura na tíbia. Temo perder tempo de preparação”.

Já Felipe Gomes comenta que “conquistar esta medalha foi muito bom. Senti uma lesão na panturrilha na segunda-feira, que me incomodou durante a prova”. Ele chegou com a equipe direto de São Paulo, vindo do Mundial de Cegos e não teve tempo de se recuperar. “Esta foi uma prova de recuperação”, ressalta.

Este texto foi escrito por: Webrun

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts