Brasileira é décima na elite feminina do Meio Ironman de Boulder (EUA)

Talita Saab ficou em décimo lugar na elite feminina e em 48º lugar no geral (foto: Talita Wendling)
Talita Saab ficou em décimo lugar na elite feminina e em 48º lugar no geral (foto: Talita Wendling)

O Ironman 70.3 da cidade de Boulder (CO), nos Estados Unidos, ocorreu no domingo, dia sete de agosto. Com distância de 1,9 quilômetro de natação, 90 de ciclismo e 21 de corrida, grandes nomes estavam presentes na disputa, onde a canadense Angela Naeth (4h10min31) e o australiano Joe Gambles (3h45min35) foram os campeões. Entre eles, a única representante brasileira na elite era Talita Saab, que conquistou a décima colocação na categoria e 48ª colocação no geral.

A disputa aconteceu na cidade de Boulder, que é conhecida como a capital do triathlon, com a temperatura em quase 38 graus, 8% de umidade e com clima deserto. Talita Saab enfrentou o maio desafio da prova: a altitude de 1.600 metros. A triatleta chegou apenas três dias antes da competição e estava preocupada em conseguir completar o percurso devido a dificuldade de respirar, já que a adaptação a altitude leva de um a três meses.

A brasileira teve uma boa natação, saiu da água na oitava colocação e marcou 31min39 neste trecho. Já no ciclismo, marcou 1h26min05, e na corrida, parte que mais sentiu dificuldade por causa da altitude, marcou 1h55min37.

“Tinha antes a consciência que não seria fácil devido à altitude e o clima do local, mas fui disposta a aproveitar a prova e ter mais uma experiência e um novo lugar maravilhoso a se conhecer. Fiquei muito contente com minha natação e ciclismo, apesar desse último ainda não estar no nível das outras competidoras fora do Brasil. Elas realmente são muito fortes, outro nível, mas gosto de competir entre elas”, comenta Talita.

A competidora equilibrou o ritmo para conseguir finalizar a prova. “No começo da corrida a sensação era boa, mas nos terceiro quilômetro o peito doia e quando tentava forçar o ritmo a falta de ar era grande. Assim fui equilibrando para poder completar a prova, sempre com muita hidratação, além das esponjas molhando o nariz para diminuir a sensação do ar seco”, explica a triatleta que continua em Boulder (EUA) onde usará algumas competições como treino, mas tem como foco principal o Mundial de Longa Distância, que será em novembro.

Este texto foi escrito por: Webrun

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts