Carlão conta como foi mais um dia no Parapan

Direto do Rio de Janeiro – Dia anterior tinha sofrido com a inacessibilidade dos trens da Central do Brasil para chegar até o estádio Engenhão, local onde acontecem as provas de atletismo do Parapan. Resolvi então ir mais confortável. Ao invés do trem, na quinta-feira (16) fui no carro do Tita, amigo e dono de uma loja de cadeiras de roda no Rio.

Cheguei ao Engenhão tranqüilo e com tempo para assistir a prova dos 1.500m open vencida por Saul Mendoza. O segundo lugar ficou com Aaron Gordian, também do México seguido por Alejandro Maldonado, da Argentina.

Na arquibancada, mais precisamente bem perto da chegada dos 100m, encontrei o João Bentim, presidente do Clube dos Paraplégicos de São Paulo, clube no qual já defendi. Nos intervalos das provas me diverti muito com uma turma fantástica de alunos da Escola Santa Rita de Nova Iguaçu. Era uma molecada sensacional que me deu uma verdadeira lição de como é bom ser ingênuo e inocente.

Na última prova do programa, os 5.000m em cadeira de rodas, havia apenas duas participantes do México, o que me deu profunda tristeza, pois o Brasil não tinha nenhuma representante. Isso é um absurdo. Tem tanta grana desviada em falcatruas e ao mesmo tempo pessoas a fim de competir, mas sem dinheiro para equipamento.

A Lia, que estava comigo no Engenhão, é uma dessas brasileiras. Muito boa corredora, ela parou de competir por falta de equipamento, de apoio e de projetos governamentais que a mantivessem no esporte.

Infelizmente a minha volta do Engenhão teve que ser feita novamente de metrô. Enfrentei tudo aquilo que havia relatado ontem, sacolejos, dificuldade de acesso ao vagão entre outros. Esse foi mais um dia no Parapan do Rio de Janeiro.

Carlos Oliveira (Carlão)
Consultor WebRun da seção Cadeirantes. Ele é atleta de elite dessa modalidade e compete pelo CGDCRDR (Clube Gaúcho de Desporto em Cadeira de Rodas de Porto Alegre). Vencedor de várias provas importantes nacionais como Maratona Internacional de São Paulo e Meia do Rio, além de ter participado dos principais eventos mundiais da modalidade Cadeirantes como o Mundial de Atletismo em Birminghan, Inglaterra e Maratona de Nova York, prova que conquistou o quarto lugar em 1997 e 1998.

Este texto foi escrito por: Carlos Oliveira

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts