CBAt aprova resolução por prevenção ao abuso e assédio

CBAt aprova resolução por prevenção ao abuso e assédio
Foto: Adobe Stock

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) adota mais um mecanismo para a prevenção ao abuso e assédio no esporte. A partir de agosto deste ano, a apresentação do certificado de conclusão do Curso de Prevenção ao Abuso e Assédio do Instituto Olímpico Brasileiro do Comitê Olímpico do Brasil (COB) passa a ser pré-requisito para treinadores e membros de equipe multidisciplinar integrarem as seleções brasileiras de atletismo bem como para árbitros atuarem como delegados em competições nacionais. A proposta apresentada pelo presidente do Conselho de Administração Wlamir Motta Campos foi aprovada, por unanimidade, na noite de terça-feira (13/4).

Divulgada em nota oficial nesta quarta-feira a resolução define também que a partir de janeiro de 2022 será obrigatório a apresentação do certificado de conclusão do Curso de Prevenção ao Abuso e Assédio para todos os treinadores, árbitros do Quadro de Delegados Técnicos da CBAt e integrantes de equipe multidisciplinar com registros na CBAt.

O Conselho de Administração fechou questão sobre a importância e relevância do tema, tanto contra o assédio quanto em favor do Jogo Limpo. O objetivo é conscientizar a comunidade do atletismo para um assunto – o assédio e o abuso – que é muito importante para toda a sociedade.

+ Siga o Webrun no Instagram!

“O objetivo é querer um atletismo livre do assédio, da mesma forma que fizemos com a autodeclaração dos corredores de rua com o jogo limpo para ter o atletismo livre do doping. Essa medida é assertiva para conscientizar a comunidade do atletismo do que é o assédio e, pela pedagogia do exemplo, todos os treinadores e árbitros deverão fazer o curso. Eu fiz esse curso no ano passado, puxando a fila. Conscientização e mudança cultural é o caminho”, afirmou o presidente do Conselho de Administração.

O Curso de Prevenção e Enfrentamento do Assédio e Abuso no Esporte (PEAAE) é uma iniciativa do Comitê Olímpico do Brasil (COB), realizado pelo Instituto Olímpico Brasileiro (IOB), sua Área de Educação, e tem o objetivo de difundir o tema do assédio e abuso no esporte, contribuindo para a cultura de prevenção, enfrentamento e adoção de boas práticas, conforme a legislação vigente.

O curso é gratuito e a distância, a carga horária é de 30 horas e as inscrições podem ser feitas pelo link https://projetosdiversosiob.asdnet.com.br/index.php.

A medida pode ajudar também no incremento do número de jovens e meninas praticando o atletismo. “Em todas as minhas andanças pelo País me deparei com isso. Como temos poucas mulheres treinadoras os pais são muito preocupados em deixar as suas filhas treinarem, ainda mais difícil nos Estados do Nordeste e precisamos mudar isso. Penso que a medida tomada é um primeiro passo”, ressaltou Wlamir.

+ Confira aqui o seu calendário completo de corridas de rua e não perca nenhuma!
+ Participe de uma corrida virtual!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts