• Alimentação - O que a cerveja causa no corpo do corredor? Saiba quando evitar

O que a cerveja causa no corpo do corredor? Saiba quando evitar

Um dos produtos mais vendidos em supermercados, adegas e estabelecimentos comerciais com certeza é a cerveja. No universo da corrida, onde os treinos para as provas são prioridade, não é diferente. Muitos corredores finalizam o longão do final de semana com uma “gelada”, considerada por muitos ideal para se refrescar depois da atividade.

+ Clique aqui e confira o calendário completo de corridas!

Apesar de ajudar na recuperação muscular após o exercício, devido aos nutrientes vindos do lúpulo, a cerveja também tem seu lado ruim. “Pensar na cerveja como pós treino, ela teria o aporte para repor o carboidrato, algumas vitaminas do complexo B, sódio, potássio, cálcio, fósforo e magnésio, que são essenciais para recuperação muscular, mas deixaria a desejar na proteína”. É o que explica a nutricionista da estima nutrição, Edvânia Soares.

O que a cerveja causa no corpo do corredor? Saiba quando evitar - Foto: Adobe Stock

Foto: Adobe Stock

Vale ressaltar que o álcool presente na bebida aumenta a desidratação, o que prejudica o rendimento na corrida e em outras atividades. Para evitar a perda de água causada pela cerveja, é aconselhado a combinação com algum suplemento de eletrólitos, ou alternar entre um gole da bebida com um gole de água (ou água de coco). Para algumas pessoas, vale também considerar a opção sem álcool da bebida, já que mantém as propriedades nutricionais e não causam nenhum malefício.

Quando evitar o consumo de cerveja

O endocrinologista Renato Zilli explica que a cerveja não deve ser consumida antes de um treino, apenas depois. “Além da demanda da atividade física, o álcool pode aumentar esse risco de dor no peito e piorar a insuficiência cardíaca congestiva. Dependendo da quantidade de bebida ingerida, também pode aumentar a pressão arterial,” comenta.

A longo prazo, a ingestão do álcool pode aumentar os triglicérides no sangue (um tipo de colesterol), além de levar a insônia, doenças hepáticas, pancreatite e úlceras no estômago. Além disso, quando consumida antes do treino, a bebida pode afetar diretamente a mecânica da corrida, com pisadas e movimentos realizados da maneira incorreta.

Um dos efeitos no corpo é também prejudicar a regulação da temperatura corporal.  Edvânia explica que isso acontece porque um corpo desidratado não tem a sudorese necessária para a troca de temperatura, assim, compromete a performance dos corredores.

+ Mostre seu preparo físico e sua força na Spartan Race São Paulo!

“Por outro lado, pós corrida ou qualquer exercício de alta intensidade, o metabolismo está acelerado e esta é a melhor hora de beber uma cervejinha com moderação”, finaliza a nutricionista.

*Fontes: Dr. Renato Zilli, endocrinologista do Hospital Sírio Libanês (CRM 110.130).

Edvânia Soares (CRN3 – 18435), nutricionista da estima nutrição.

Comentários

Tags:, , ,
Leonardo Boscolo
Sou um apaixonado por esportes e aspirante a corredor. Um jornalista que vê na corrida um mundo de objetivos a serem alcançados, realizações pessoais e a oportunidade de se tornar cada dia uma pessoa melhor.
Publicidade

Calculadoras Webrun

Publicidade