Circuito Brasileiro de Maratonas

Milhares de corredores participam das maratonas nacionais anualmente (foto: Harry Thomas Jr  Arquivo WebRun)
Milhares de corredores participam das maratonas nacionais anualmente (foto: Harry Thomas Jr Arquivo WebRun)

Atualmente no Brasil, o Circuito Brasileiro de Maratonas – extra-oficial- conta com cinco provas, as Maratonas de Porto Alegre, Blumenau, São Paulo, Florianópolis e Curitiba. Existe ainda, as maratonas de Revezamento do Pão de Açúcar (São Paulo e Fortaleza) e BR Petrobrás (Rio de Janeiro), porém, disputadas em equipes e não individualmente.

Tratando ainda de provas individuais temos as maratonas do Recife e Dourados (Mato Grosso), que não são computadas como oficiais, pelo fato que não possuir percurso aferido, e dessa forma, inviabilizando seu reconhecimento pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e pela AIMS. Vale destacar, que esse ano essas duas provas estarão completando suas 12ª e 20ª edições respectivamente.

Certamente, o Brasil tem um número reduzido de competições, quando comparado com as 400 maratonas que são disputadas anualmente somente nos Estados Unidos, mas, hoje os maratonistas ou corredores que querem completar pela primeira vez uma maratona, dispõem de competições na distância oficial de 42.195m de nível internacional.

Os anos 80: Na primeira metade da década de 80 a cidade do Rio de Janeiro era a principal referência existente no Brasil em termos de corridas de rua. Lá era realizada a badalada Maratona do Rio, que atraia corredores de todo o mundo.

Assim esse foi o primeiro “boom” de corridas registrado no Brasil. Paralelamente a prova do Rio, as cidades de Blumenau (84) e Porto Alegre (85) através de seus respectivos clubes de corredores Corblu e Corpa organizam as primeiras edições das maratonas de Blumenau e Porto Alegre. Já, a Maratona do Rio na segunda metade da década de 80 declina até ser extinta, enquanto as provas em Blumenau e Porto Alegre são realizadas até hoje.

Os anos 90: No início dos anos 90 a cidade de São Paulo, SP, assume a dianteira na organização de eventos de corridas. Dois fatores foram decisivos: o retorno das atividades da Corpore (92) e a criação da revista Contra-Relógio que tem um trabalho focado na melhoria das organizações de eventos, visando o respeito ao atleta.

Ainda na primeira metade da década, além das provas do sul, surgia no país outras provas como a difícil Maratona de Ribeirão Pires (que se extinguiu em 1997) e a Maratona de Revezamento do Pão de Açúcar (1993).

À partir de 1995 com a entrada no calendário das Maratonas de São Paulo que esse ano espera reunir 10.000 participantes, da Maratona de Curitiba, e do retorno da Maratona do Rio (cuja última edição por falta de patrocínio aconteceu no ano 2000) o cenário atual começa a ser delineado.

3° Milênio: Em 2001 com a entrada do 3° milênio, o país ganha mais uma prova que nasceu oficializada pela CBAt, que é a Maratona de Florianópolis, assim, configurando definitivamente o calendário atual.

Portanto, hoje os corredores brasileiros possuem um calendário de cinco provas que se estende do mês de maio (Porto Alegre) à novembro (Curitiba). Todas provas sem exceção possuem reconhecimento da CBAt e da AIMS por enquadrarem-se dentro das regras que regem a modalidade.

Itens como: boa premiação, percurso aferido, controle por chip, classificação por faixa etária, abastecimento adequado, kit de corredor, banheiros na largada e chegada entre outros itens básicos de uma prova de classe mundial são atendidas pelos organizadores dessas provas.

O Brasil conta com grandes provas na distância e você somente precisa escolher as provas que deseja participar, traçar um planejamento realista de treinamento junto a um profissional competente e correr literalmente para a “vitória” e alegria que é completar os 42.195 metros de uma maratona.

Este texto foi escrito por: Webrun

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts