Confira algumas curiosidades da São Silvestre

A Corrida Internacional de São Silvestre chega este ano à sua 83ª edição e fatos curiosos rondam a história da mais tradicional competição paulista. Confira alguns fatos interessantes, como o destaque da 33ª, o russo Vladimir Kutz e a presença de índios na disputa.

Campeão dos cinco e 10 mil metros na Olimpíada de Melbourne, na Austrália, Vladimir Kutz era o grande destaque da prova de 1957, mas ficou somente com a oitava posição, não por falta de méritos, mas como caminhou pelas praias de Santos, o passeio lhe rendeu bolhas nos pés. O atleta russo teve uma carreira curta no atletismo internacional, porém, marcante. Além dos dois títulos olímpicos, ele quebrou sete recordes mundiais.

Por duas vezes, a São Silvestre registrou a presença de índios. Fisicamente aptos por causa do contato com a natureza, os indígenas participaram das edições de 1964 e 1982 em uma expectativa nunca antes registrada. Participaram da 40ª prova, uma equipe de cinco integrantes da Ilha do Bananal, sendo três das tribos Craós e dois Carajás. Na ocasião, um dos organizadores da corrida, Aurélio Bellotti, e o indianista, Willy Aureli, viajaram até o acampamento para orientá-los sobre os aspectos técnicos da disputa.

Durante a competição, faltou aos índios a experiência e o condicionamento físico dos adversários. Graças à iniciativa, que teve o apoio da Funai, a 58ª São Silvestre contou com representantes dos Xavantes e Serenas. A primeira tribo trouxe dez corredores e a segunda três. Um grupo de dança típica se apresentou em Interlagos, completando a festa do último dia do ano.

Este texto foi escrito por: Webrun

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts