• Corrida de Montanha - Corredores trocam o asfalto pela areia no XTerra Ceará Night Run

Corredores trocam o asfalto pela areia no XTerra Ceará Night Run

A prova reuniu cerca de 700 corredores (foto: Alexandre Koda/ www.webrun.com.br)
A prova reuniu cerca de 700 corredores (foto: Alexandre Koda/ www.webrun.com.br)

A noite do último sábado (19/11) foi diferente para muitos corredores de Fortaleza (CE) e região, que trocaram as tradicionais corridas no asfalto que acontecem por lá, por uma disputa nas areias da praia, nas proximidades do parque aquático Beach Park. Enquanto na elite as disputas eram acirradas pelo primeiro lugar, entre os amadores o objetivo era completar bem o trajeto de 7,5 quilômetros.

Direto de Fortaleza (CE) – Sob a luz da lua e céu estrelado, cerca de 700 pessoas largaram às 19h nas areias da praia próximas ao Beach Park Resort, para a edição 2011 do XTerra Ceará Night Run. O primeiro trecho a ser vencido foi uma longa reta de areia fofa, antes de chegar às ruas de terra do bairro próximo e até um trecho de mangue, ao lado de uma lagoa.

O trecho final foi mais uma vez uma longa reta de areia fofa por dois quilômetros, que culminava no pórtico de chegada, onde várias pessoas aguardavam para aplaudir os concluintes. “Camuflado” entre os corredores estava Bernardo Fonseca, organizador da prova, que resolveu testar in loco o trajeto montado por sua equipe.

“Fico muito feliz em conseguir correr a prova. Isso significa que minha equipe e o evento estão bem estruturados. Curti bastante encontrar o pessoal no meio do percurso e confraternizar com eles”, conta o diretor da X3M Brasil, empresa responsável pelo evento. “O trajeto é bem diferente, saímos do asfalto e viemos correr na natureza, o que é muito legal. Terminei o dia com a sensação de dever cumprido, já que os corredores e a equipe deram um feedback positivo. Melhor do que isso, só dois disso”, finaliza o dirigente, que estreou um blog no Webrun, o Sem Limites.

Superação – Entre os corredores uma história de superação: Braz Filho pesava 140 quilos, era sedentário, mas encontrou na corrida a alternativa para, literalmente, sobreviver. “Eu era diabético, hipertenso, depressivo e tomava 15 comprimidos por dia”, relembra. “Tive que fazer a cirurgia de redução de estômago, pois era um caso urgente, e logo depois fui buscar qualidade de vida”, comemora.

“Comecei a praticar vários esportes, como vôlei, bicicleta, corrida e, inclusive, passar pela catraca do ônibus, que é algo muito divertido para quem era gordo”, diverte-se. “Corro todas as provas em Fortaleza, sou um verdadeiro viciado em esporte e hoje não tomo mais nenhum remédio”. Ele conta que se inspirou a praticar corrida, pois não conseguia caminhar dez metros ou subir dois degraus sem ficar ofegante. “Minha primeira corrida foi em agosto de 2010, com seis quilômetros e minha preocupação era se teria ambulância. Terminei de forma sofrida, mas cheguei. Hoje me atrevo a correr até 25 quilômetros”. Em todas as provas ele corre com uma foto em mãos da época em que era obeso.

Quem também estava feliz por correr nas areias da praia era Graziele Nobre, que fez sua estreia em provas noturnas. “Achei o percurso difícil com areia, lama, pedra, mas fiquei feliz por ter completado”, relata. “Participo de todas as provas na cidade. Neste sábado, inclusive, havia uma corrida em asfalto de manhã, mas não me inscrevi para estar aqui, por ser diferente”, completa. Ela correu todo o percurso escutando música em seu mp3 player, com uma seleção bem variada. “Tem eletrônico, pop rock e pagode bem agitados”, completa Graziele que corre há um ano.

Vladimir Salmir também achou o percurso difícil, mas gostou de correr à noite. “A parte do mangue tinha uma areia muito frouxa, mas foi legal. Corri aqui ano passado, mas dessa vez foi mais difícil”, conta. Seu colega de corridas, Anastácio Frota, também aprovou o evento. “Foi bem organizado e o único ponto negativo foi a largada, pois tinha muita gente e não conseguíamos sair num ritmo bom. Ano que em estarei de novo”.

Existe um ditado que diz que “os últimos serão os primeiros”, fato que a corredora Letícia Darcy Correia pôde comprovar. Ela foi uma das últimas a cruzar a linha de chegada, não desistiu, e fez questão de tirar fotos no degrau mais alto do pódio ostentando a suada medalha de finisher. “Desistir jamais, esse é meu lema. Pensei que não fosse conseguir terminar, mas cheguei e foi um sucesso”, conta a corredora de primeira viagem. “Foi minha primeira prova e daqui para frente farei muitas outras”, relata.

A próxima etapa do Circuito XTerra com corrida noturna será a última da temporada, em Juiz de Fora (MG), com percurso de meia maratona e rústica de nove quilômetros em trilhas da região. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no site oficial, o www.xterrabrasil.com.br.

Este texto foi escrito por: Alexandre Koda

Comentários

Tags:, , ,
Redação Webrun
Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!
Publicidade

Calculadoras Webrun

Publicidade