• Saúde - Dia mundial do coração: data reforça a importância de estar com a saúde em dia

Dia mundial do coração: data reforça a importância de estar com a saúde em dia

As doenças cardiovasculares representaram mais de 30% dos óbitos e o colesterol é um dos principais responsáveis

Dia mundial do coração: data reforça a importância de estar com a saúde em dia

Foto: Adobe Stock

Dia 29 de setembro é celebrado o Dia Mundial do Coração, o objetivo da data é alertar a população para os cuidados com esse importante membro do sistema cardiovascular. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 17,5 milhões de pessoas morrem anualmente no mundo em decorrência de doenças cardíacas. Só no Brasil, até meados do ano passado, mais de 260 mil pessoas faleceram por conta de doenças do coração. As DCVs representaram mais de 30% dos óbitos e em países em desenvolvimento contabilizam mais de três quartos das causas de morte.

Entre os responsáveis pelo aumento nos casos de doenças cardíacas é o colesterol alto. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 40% dos brasileiros têm o problema e doenças associadas a ele, como infarto e AVC, são apontadas pela OMS como sendo a primeira causa de morte no mundo. O aumento no índice de colesterol é mais comum nas mulheres (25,9%) do que nos homens (18,8%), segundo a Pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

O colesterol, quando está acima do índice indicado, se deposita nas artérias ajudando a formar placas de gordura nessas estruturas, provocando o endurecimento dos vasos (aterosclerose). Cerca de 70% do colesterol é fabricado pelo próprio organismo, enquanto 30% é adquirido na dieta. “O colesterol é uma substância lipídica normal que o nosso organismo produz e que é essencial para várias funções vitais do mesmo. Quando se encontra elevado torna-se potencialmente perigoso e aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares”, explica o cardiologista da CardioAnchieta, Dr. Thiago Germano.

Exames e acompanhamento

Fazer visitas regulares a um especialista médico e utilizar a medicação recomendada de forma correta ajudam não apenas a prevenir as DCVs, mas proporcionam melhor qualidade de vida. “Os exames laboratoriais são importantes para este acompanhamento bem como exames cardiológicos específicos para a condição/doença da pessoa. A Tomografia Computadorizada das artérias coronárias é capaz de identificar alguma obstrução arterial destes vasos que pode ser decorrente de um controle inadequado dos níveis de colesterol pelo paciente”, afirma o responsável técnico do Anchieta Diagnósticos, Dr. Anderson Benine Belezia.

+ Clique aqui e escolha sua próxima corrida!

Prevenção e alimentação

A prevenção de doenças cardiovasculares engloba bons hábitos alimentares associado a exercícios físicos regulares. Os hábitos de vida, como alimentação não adequada, rica em gorduras e carboidratos, juntamente ao sedentarismo, na grande maioria das vezes, estão associados a esse aumento.
Você sabe identificar os sinais de uma parada cardíaca? Sabe fazer as manobras de reanimação (massagem cardíaca) ou usar um desfibrilador externo automático (DEA)? Provavelmente não. Isso porque, no Brasil, o socorro imediato e emergencial para os casos de parada cardíaca ainda é pouco difundido.

Não raramente, a parada cardíaca acomete pessoas ativas, que desempenham suas atividades cotidianas e, de modo repentino, por picos de estresse físico, emocional, ou doenças associadas, sofrem um mal súbito.

Quais os primeiros cuidados em uma parada cardíaca?

A parada cardíaca e a morte súbita podem não apresentar sinais prévios e quem está por perto pode salvar uma vida. “É de extrema importância promover a conscientização sobre o reconhecimento e o atendimento imediato de vítimas de parada cardiorrespiratória (PCR), seja dentro de suas casas, em locais públicos, no ambiente de trabalho, em instituições de ensino e mesmo dentro de serviços de saúde. Ações preventivas e educativas atuam neste sentido”, explica a cardiologista membro da SOBRAC, Dra. Luciana Armaganijan.

Dicas úteis:

A morte súbita pode ser evitada, em grande parte dos casos, se o socorro à vítima for realizado rapidamente por meio de massagens cardíacas e aplicação de um choque elétrico no peito do paciente (desfibrilação).

Segundo Dr. Cristiano Pisani, cardiologista membro da SOBRAC, “é essencial, já sendo lei em alguns municípios, a existência de um desfibrilador acessível em locais públicos ou privados de grande circulação, como praças, parques, praias, shoppings centers, estádios de futebol, academias de ginástica e instituições de ensino, entre outros”.

O índice de sucesso na recuperação de uma parada cardiorrespiratória (PCR) depende diretamente do tempo transcorrido entre a sua ocorrência, o início das massagens cardíacas externas e a desfibrilação. As chances de sobrevivência da vítima diminuem cerca de 10% a cada minuto de atraso neste atendimento.

Danos cerebrais irreversíveis podem ocorrer a partir de 4 a 6 minutos após uma parada cardíaca. Poucas tentativas de reanimação cardíaca são bem-sucedidas após 10 minutos.

Se você não estiver preparado (a) para realizar as técnicas de reanimação e não souber usar o desfibrilador, acione uma equipe de socorro local e ligue rapidamente para o SAMU (192).

 

Comentários

Tags:, , , ,
Redação Webrun
Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!
Publicidade

Calculadoras Webrun

Publicidade