Elite da Maratona de São Paulo está pronta para a prova

Os quenianos Benjamin Kiptarus  Margareth Karie e Charles Korir. (foto: Donata Lustosa/ Webrun)
Os quenianos Benjamin Kiptarus Margareth Karie e Charles Korir. (foto: Donata Lustosa/ Webrun)

São Paulo – No próximo domingo acontece na capital paulista a Maratona Internacional de São Paulo. Atletas brasileiros e estrangeiros estarão na disputa pelo primeiro lugar do pódio. Na manhã dessa sexta-feira (2) os principais maratonistas de elite da competição participaram de uma coletiva de imprensa no Ginásio do Ibirapuera, local de retirada do kit atleta.

No grupo de estrangeiros os favoritos são os quenianos Benjamin Kiptarus, vice-campeão da Maratona de São Paulo do ano passado; Charles Korir, campeão da São Paulo Classic e Margareth Karie, vencedora dos 10km de Santos.

Para os estrangeiros a principal dificuldade da competição é o clima. Se o domingo amanhecer úmido e com o calor, o desempenho de todos poderá ser prejudicado. “Eu treinei muito bem, mas tudo vai depender do clima”, conta Karie que treinou em altitude.

Assim como Karie, seu compatriota Charles Korir também treinou em altitude e focou três meses de preparação para a prova paulista. Esta será a primeira maratona do queniano de 26 anos. “Eu também acho que quando está muito quente o rendimento cai”, afirma.

Com um pouco mais de experiência na modalidade, Benjamin Kiptarus não tem nenhum adversário. “Numa prova o adversário não é importante. O principal desafio é como você se preparou”, conta o vice-campeão de 2005.

No lado verde e amarelo da competição, Franck Caldeira e José Telles prometem brigar pelo pódio. Ambos já venceram a Maratona de São Paulo. “Os quenianos são muito bons. Mas eu fiz uma boa preparação e estou muito confiante. Vou querer brigar pelos cinco primeiros lugares”, conta Telles campeão da Maratona de São Paulo 2005.

Franck Caldeira venceu a prova em 2004, mas no ano passado parou no quilômetro 30. Segundo o atleta, em 2005 seu objetivo não era completar a prova, apenas utiliza-la como um treino forte. Mas esse ano ele irá correr os 42 quilômetros.

“Dessa vez vou poder completar a maratona. O meu adversário sempre foi os 42 quilômetros. É uma distância longa e muita coisa pode acontecer no meio do caminho”, conta Caldeira.

Ao contrário dos quenianos que temem a temperatura, Caldeira e Telles acreditam que o clima estará bom no dia da prova. ”A temperatura amena deve ajudar”, diz Telles. “Acho que vou começar a correr de luva. O frio deve ajudar bastante, principalmente para aqueles que vão buscar resultado”, complementa Caldeira.

Na disputa pelo pódio feminino o Brasil estará desfalcado. A campeã do ano passado, Márcia Narloch, anunciou na manhã dessa sexta-feira que não poderá defender o seu título. Segundo a assessoria da maratonista, ela está lesionada. Pelo mesmo motivo, Sirlene Pinho também não irá correr.

A Maratona de São Paulo acontece no próximo domingo, quatro de junho, com largada no Obelisco do Ibirapuera. Além da maratona, também acontecerá uma corrida de 10 quilômetros, outra corrida de cinco e uma caminhada. Segundo os organizadores, o evento deve reunir 10 mil pessoas.

Este texto foi escrito por: Donata Lustosa

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts