Fórmulas antibarriga funcionam?

Qual mulher não sonha em ter aquela barriga chapada como as modelos da capa da revista? E para alcançar este resultado, a maioria seria capaz de usar qualquer fórmula “mágica” que aparecer no mercado. Mas será que elas realmente funcionam? E os efeitos colaterais? Segue abaixo algumas das mais famosas fórmulas “mágicas”, seus benefícios e efeitos colaterais.

Rimonabanto: comercialmente conhecido como Acomplia® essa é a famosa pílula antibarriga. É uma medicação produzida pelo laboratório Sanofi-Aventis, e teve o registro aprovado pela ANVISA em abril. É indicado para casos de pacientes com obesidade (índice de massa corporal IMC – maior que 30) ou sobrepeso (IMC maior que 27 valor indicado pelo laboratório) e com fatores de risco associados, como diabetes tipo II, triglicerídeos aumentados e HDL abaixo do valor recomendado. Além disso, o paciente deve ter a circunferência abdominal acima de 94cm para homens, e acima de 90cm para mulheres.

E como funciona a pílula mágica? O rimonabanto tem como princípio ativo a inibição das substâncias endocanabinóides, responsáveis entre outras coisas pelo controle do apetite. Quando a produção dessas substâncias está desregulada, a fome aumenta e vira gula. Elas também interferem no colesterol e no acúmulo de gordura. É aí que o Acomplia® entra em ação diminui o apetite e estimula a queima de gordura especialmente no abdômen.

O laboratório fabricante adverte que esta é uma medicação não indicada para uso estético. Além disso, a medicação só é indicada se for associada a uma dieta e a prática de atividade física. Ou seja, tomar a pílula e continuar sedentário comendo pizza e hambúrguer não resolve.

E nada de pensar que não existem efeitos colaterais: enjôo, tontura, sono e depressão. Além disso, uma contra indicação importante é a depressão. Pesquisas com o medicamento e pacientes com depressão mostraram aumento do índice de suicídio em quem fez uso da medicação.

Por isso, de mágica esta pílula não tem nada, é uma medicação e só deve ser usada com prescrição médica.

Faseolamina: é uma glicoproteína, extraída do feijão branco, que tem capacidade de inibir a ação da enzima amilase, conseqüentemente a conversão de carboidrato em açúcar, obtendo assim como resultado uma redução dos níveis de açúcares do sangue e uma diminuição das reservas de gordura. Além disso, melhora o funcionamento do intestino porque, além do carboidrato não absorvido, aumenta o volume das fezes, já que a faseolamina tem fibras.

O produto possui uma alta tolerância e comumente não provoca efeitos colaterais. Porém, há alguns relatos de diarréia em pessoas que possuem uma dieta muito rica em amido.

Porém, ao interromper o uso, um novo estilo de vida (dieta e atividade física) deve ser introduzido, do contrário, os “pneuzinhos” voltam.

Citrus Aurantium: ou Advantra Z® deriva da laranja amarga e contém pequenas quantidades de alcalóides, como a sinefrina e a octopamina (semelhantes à efedrina, porém mais seguros), que atuam direta e indiretamente como agentes adrenérgicos. Estes agentes com atividade beta-agonista estimulam a lipólise (queima de gordura) e aumentam os níveis do metabolismo em algumas pessoas, aumentando conseqüentemente a eliminação e oxidação das gorduras armazenadas nos tecidos adiposos.

Quem faz exercício pode se beneficiar em dobro: além da queima de gordura gerar mais energia, o Citrus estimula a liberação de adrenalina. Com todo esse pique, você melhora a performance e ganha mais massa magra, claro, desde que seu treino inclua sessões de musculação. Outra explicação para a substância ajudar a definir a musculatura é deixar os aminoácidos mais acessíveis para a formação da proteína — indispensável para a construção e manutenção dos músculos.

A parte boa: não há relato de efeitos colaterais. Mas, mesmo sendo um fitoterápico, recomendo utilizá-lo somente com recomendação de médico ou nutricionista.

Caralluma Fimbriata: é um cactus suculento e comestível, que pertence à família Asciepiadceae, também conhecido como um supressor do apetite e da sede entre as populações tribais.

A Caralluma fimbriata possui glicosídeos que acredita-se bloquear a ação da enzima Citrato liase. Pelo bloqueio desta enzima ela bloqueia a produção de gordura. Além disso, bloqueia outra enzima chamada Malonil Coenzima A inativando mais ainda a formação de gordura pelo organismo, e por esta razão, o mesmo é obrigado a queimar as reservas existentes, levando a perda de peso.

O mecanismo de ação proposto para supressão do apetite é que a Caralluma fimbriata parece “enganar o cérebro”, mandando ao hipotálamo uma mensagem de estômago cheio, mesmo quando a pessoa ainda não se alimentou. Acredita-se que certos glicosídeos da Caralluma fimbriata, que simulam a ação do neuropeptídio Y, que presente naturalmente no nosso cérebro, é responsável pelo aumento da saciedade, inibam o mecanismo sensorial da fome no hipotálamo.

Também não há relato de efeitos colaterais. Mas, mesmo sendo um fitoterápico, recomendo utilizá-lo somente com recomendação de médico ou nutricionista.

Chá Verde: é feito a partir das folhas de Camellia sinensis, as mesmas folhas de que é feito o chá preto, a única diferença é que o chá verde utiliza folhas menos oxidadas.

Existem inúmeros benefícios a saúde associado ao chá verde: aumenta o “bom” colesterol (HDL), diminui o “mal” colesterol (LDL), protege contra o câncer, melhora performance em alguns esportes e aumenta a taxa metabólica, ou seja, auxilia na perda de peso.

Isso acontece devido a uma interação sinérgica entre cafeína e outros componentes bioativos do extrato de chá verde acarretando na promoção de maiores taxas de queima de gordura. Também não foi relatado nenhum efeito colateral com o uso desta substância.

Este texto foi escrito por: Bruna Iasi

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts