Frederico Zacharias vai ao XTerra Brazil focado em resultados

Zacharias afirma que seu ponto forte é a bicicleta (foto: Caio Martins/ www.webrun.com.br)
Zacharias afirma que seu ponto forte é a bicicleta (foto: Caio Martins/ www.webrun.com.br)

Angra dos Reis será o centro dos holofotes do triathlon nacional e internacional com a realização de mais uma etapa do XTerra no começo de agosto. Dos dias seis a oito, atletas do Brasil e de diversos outros países vêm ao país para competir na prova que tem maior peso para a classificação geral e ainda garante vaga para 34 competidores na etapa mundial no Havaí.

Frederico Zacharias, atual líder do ranking XTerra, acredita que a disputa com atletas estrangeiros aumenta o nível da disputa e isso ajuda a competitividade mesmo entre os atletas nacionais. “Quem for bem nessa etapa já tem um nivelamento para o Mundial, porque é esse o objetivo de quem disputa o ranking. Só ter parâmetros nacionais não dá a noção de como seria no Havaí, não é muito legal para a gente”, comenta, fazendo referência aos convidados internacionais confirmados para a prova, como o sul-africano Conrad Stoltz e o argentino Gonzallo Tellechea. Frederico quer garantir uma maior vantagem na liderança e busca vaga no mundial.

Sobre a preparação para as competições do circuito, o triatleta mineiro conta que quis melhorar a natação, com o objetivo de não perder tanto tempo na água, apesar de ter como ponto forte o ciclismo. “Agora estamos numa fase de polir o treinamento, fazer pequenos ajustes, como arrumar uma transição que está ruim”. Frederico comenta que a principal preocupação nesse momento é não se machucar, nem ficar doente para não prejudicar as etapas.

Disputa entre gigantes – Atual líder do ranking, Zacharias tem uma disputa contínua com Alexandre Manzan, vice-líder. “Nós nos revezamos nas posições, às vezes ele termina em segundo, eu termino em primeiro, às vezes eu fico em segundo e ele em primeiro. É uma disputa de apenas uma posição”. A diferença de pontos entre os dois é de 85 pontos, sendo que o terceiro colocado está 22 pontos atrás de Manzan.

Perguntado sobre as maiores dificuldades da prova em Angra dos Reis, o primeiro colocado nacional não sabe precisar um ponto específico do percurso. “Angra é um percurso muito equilibrado, vai contar muito o equilíbrio entre as três modalidades”. Ao todo, serão 1,5 quilômetro de natação, 29 quilômetros de Mountain Bike e nove de corrida.

Na opinião de Frederico, as etapas mais difíceis são as de Ilhabela (SP) e Pedra Azul (ES). “O XTerra não é uma prova que você disputa com outras pessoas, você acaba mais competindo com você mesmo e contra o próprio terreno. Não tem aquela disputa de homem a homem, é uma questão de superação própria. Só de completar algumas etapas a pessoa já está de parabéns” reflete.

A etapa brasileira do circuito mundial do XTerra acontece de seis a oito de agosto, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Além da prova de triathlon, o evento sedia competições para crianças, uma corrida noturna e um desafio de natação.

Este texto foi escrito por: Clarissa Viana

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts