Governo de Tóquio afirma que Olimpíadas irão acontecer com ou sem vacina

O Comitê Olímpico Internacional (COI) deixou uma mensagem para o mundo na última segunda-feira (7). O conteúdo pode chocar muitos, que seriam contra a realização de um megaevento como são os Jogos Olímpicos. Segundo a AFP e o Deadline, o vice-presidente do COI, John Coates afirou que as Olimpíadas de Tóquio, marcadas para 23 de julho de 2021 “vai acontecer com ou sem COVID”.

Tendo em mente que mais de 27 milhões de pessoas foram infectadas com o vírus em todo o mundo, e que ainda não exista uma vacina contra o coronavírus, a declaração causou polêmica no mundo dos esportes.

Governo de Tóquio afirma que Olimpíadas irão acontecer com ou sem vacina

O comitê e o governo japonês anunciaram o adiamento dos Jogos de 2020 em março, em meio à pandemia. Os jogos nunca haviam sido adiados antes na história. Até este ano, eles só foram cancelados antes devido a guerras mundiais.

“Concordamos que um adiamento seria a melhor maneira de garantir que os atletas estejam em suas melhores condições ao competir e garantir a segurança dos espectadores”, disse na época o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

+ Veja aqui como participar de uma corrida de rua!

Conscientização dos direitos LGBTQ

Ainda nessa semana, foi anunciada a reabertura de um centro para aumentar a conscientização sobre os direitos LGBTQ antes e durante as Olimpíadas de Tóquio, a partir do próximo mês. O local se chamará “Pride House” (Casa do Orgulho, traduzido), e funcionará de maneira permanente. Segundo os organizadores dos Jogos, o centro será o primeiro na história a contar com o apoio do COI. A abertura está programada para ocorrer em 11 de outubro.

“A Pride House Tokyo visa a educar o mundo e também o Japão sobre as dificuldades que a comunidade LGBTQ tem de praticar e desfrutar de esportes. Também quer ajuda a criar um espaço seguro” afirmaram os administradores, em comunicado divulgado nesta segunda-feira (7).

Para Gon Matsunaka, diretor de uma organização apoiadora da criação da Pride House, o Japão é um dos países menos evoluídos na conscientização dos direitos LGBTQ.

“Muitas pessoas pensam que o Japão é um defensor dos direitos humanos, mas na verdade não existem leis para proteger as pessoas LGBTQ. A sociedade está repleta de preconceito, discriminação e assédio em relação à comunidade LGBTQ. Embora tenhamos que mudar a arena esportiva, também esperamos que a Pride House possa ajudar a mudar a sociedade como um todo”, disse o diretor, em entrevista à agência de notícias Reuters.

+ Seu calendário completo de corridas virtuais está aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leonardo Boscolo

Leonardo Boscolo

Sou um apaixonado por esportes e aspirante a corredor. Um jornalista que vê na corrida um mundo de objetivos a serem alcançados, realizações pessoais e a oportunidade de se tornar cada dia uma pessoa melhor.

Ver todos os posts