Integração é destaque na abertura do Circuito Corpore

O objetivo é estimular a prática do esporte (foto: Juliana Dal Piva/www.webrun.com.br)
O objetivo é estimular a prática do esporte (foto: Juliana Dal Piva/www.webrun.com.br)

Como o objetivo das corridas de rua é a integração, cadeirantes e praticantes de handcycle não ficaram de fora da abertura do Circuito Corpore, no domingo (21/03). As duas categorias apesar de diferentes largaram juntas na USP, pouco antes da largada geral dos atletas.

Ao todo, foram seis participantes. Três correram nos 10 quilômetros e os outros, por serem iniciantes disputaram a distância menor, os cinco. Diego Madera foi o campeão na categoria dos 10 quilômetros, mesmo depois de um dos pneus da cadeira ter furado no quilômetro sete. “A prova foi boa e eu garanti a vitória com uma vantagem que abri no começo. No final, cheguei praticamente em zigue-zague por causa do pneu furado”, conta.

Ele correu com a ajuda de outro esportista, Fernando Aranha. O amigo é praticante de handcycle, e na prova da Corpore não veio para competir, mas para auxiliar Madera no percurso, como um guia. “Somos de categorias diferentes, por isso não é que eu fiquei em segundo lugar. Como o handcycle, que é o que eu pratico, ainda não está oficializado no país, a gente coloca todo mundo junto para estimular o esporte”, explica.

Aranha diz que se surpreendeu com o desempenho de Madera. “Teve uns picos de velocidade ali bem interessante, porque eu sei que faz tempo que ele não pratica”, revela. Madera vem se recuperando de uma lesão no ombro no ano passado e aos poucos retorna as competições.

Este texto foi escrito por: Juliana Dal Piva

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts