Já teve covid-19? Especialista alerta sobre cuidados na volta aos treinos

Mesmos os atletas não caracterizando um grupo de risco para covid-19, isso não significa que a doença seja pouco preocupante para eles. Quem não pegou a doença deve continuar evitando a contaminação. E os atletas que já contraíram o novo coronavírus e se recuperaram devem retornar ao esporte apenas quando tiverem condicionamento para isso, e ficando atentos à saúde como um todo, pois a doença é capaz de deixar algumas sequelas, a longo prazo, que possam impactar em suas vidas esportivas. O Dr. João Hollanda  médico ortopedista especialista em joelho e lesões no esporte falou sobre o assunto.

covid-19 atletas
Foto: Adobe Stock

Retorno ao esporte pós covid-19

Ainda que a infecção pelo novo coronavírus se mostre particularmente grave em decorrência de problemas respiratórios, hoje está claro que a doença apresenta diversas outras manifestações igualmente graves. O retorno ao esporte sempre envolve riscos que requerem atenção, e uma delas, para o atleta, é a possibilidade de acometimento do coração. Em um estudo com 1527 pacientes com covid-19, 8% sofreram algum tipo de lesão cardíaca aguda, incluindo miocardite, arritmias e insuficiência cardíaca.

De acordo com o médico, atletas com histórico de doença cardíaca prévia ou casos graves da infecção pelo coronavírus apresentam risco maior, mas, em alguns casos, o acometimento cardíaco ocorreu mesmo em pacientes assintomáticos. Atletas aparentemente recuperados clinicamente de uma infecção comprovada (mesmo que leve) podem eventualmente apresentar uma lesão subclínica da musculatura cardíaca, o que pode ser perigoso e requer atenção no caso do retorno esportivo.

A miocardite é uma inflamação da musculatura do coração decorrente de processos infecciosos e está entre as principais causas de morte súbita, de origem cardíaca no esporte, entre atletas com menos de 35 anos. O risco de morte súbita aumenta quando o atleta mantém a prática esportiva mesmo na vigência da miocardite. Assim, a investigação cardiológica deve ser recomendada antes do retorno esportivo de todo paciente que tenha sido infectado pelo novo coronavírus, é preciso manter aquele check-up em dia antes de voltar ao ritmo pesado de treinos.

O retorno esportivo após uma infecção por Covid-19 deve se basear no risco de complicações cardiológicas, de acordo com a tabela abaixo, e é sempre recomendável consultar um médico especializado e seguir suas orientações antes de voltar às atividades:

A Pacientes com teste positivo para Srs-CoV-2 mas que não tenham desenvolvido sintomas Afastamento de duas semanas. Retorno se assintomático e com eletrocardiograma normal;
B Pacientes com teste positivo para SrsCoV-2, com sintomas da doença, mas sem os achados característicos da miocardite; Afastamento de quatro semanas, seguido de avaliação cardiológica e exames específicos
C Pacientes com teste positivo para SrsCoV-2 e miocardite confirmada ou suspeita. Afastamento de 3 a 6 meses seguido de reavaliação cardiológica, de acordo com protocolos para miocardite

+ Participe de uma corrida virtual, escolha sua prova!

Implicações futuras na prática esportiva

Se o coração é que vai guiar o retorno seguro do atleta ao esporte, o pulmão é o que mais preocupa em relação ao futuro da prática esportiva. Existem evidências crescentes de sequelas prejudiciais à saúde de pacientes que sobrevivem aos quadros mais graves da doença, e a possibilidade dessas sequelas se manifestarem até mesmo em atletas que desenvolvem as formas leves ou mesmo assintomática da doença ainda é incerto.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 20% dos pacientes diagnosticados com coronavírus desenvolvem pneumonia, sendo que 14% destes (inclusive atletas) desenvolvem pneumonia grave. A pneumonia pode provocar fibrose pulmonar, uma espécie de “tecido de reparo”, o que pode limitar de forma definitiva a função pulmonar. A capacidade de exercício, nestes casos, pode se tornar limitada.

O ideal, é que você atleta que já teve covid-19, busque seu médico faça exames de prevenção com frequência, principalmente para acompanhar o funcionamento do coração e pulmão. Use a medicina preventiva a seu favor para voltar a ter uma vida saudável no esporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts