Londres está chamando – Conheça a capital, sede das Olimpíadas de 2012

Os famosos ônibus de dois andares foram trocados recentemente por um modelo mais moderno (foto: Kevin Siu/Licença Creative Commons)
Os famosos ônibus de dois andares foram trocados recentemente por um modelo mais moderno (foto: Kevin Siu/Licença Creative Commons)

Depois de quatro rodadas de votação, Londres foi escolhida como cidade sede das Olimpíadas de 2012. Entre as concorrentes estavam Nova York (EUA), Moscou (Rússia), Madrid (Espanha) e Paris (França), que deu mais trabalho aos londrinos na etapa final do concurso. Mas foi em seis de julho de 2005 que eles venceram os parisienses e Londres foi escolhida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) para sediar os jogos.

Antes que comecem os Jogos Olímpicos este ano, vamos conhecer um pouco mais da capital inglesa.

Um pouco sobre Londres – Os ingleses são conhecidos pelos seus costumes e tradições tão intrínsecos. A pontualidade e o chá das cinco são até motivos de piadas, paródias ou admiração no mundo inteiro. O fanatismo por futebol aliado aos famosos pubs (são mais de 60 mil no Reino Unido!) deram motivo para os chamados hooligans (vândalos, em inglês, geralmente associados a times de futebol, atores de brigas violentíssimas nas ruas).

Alguns outros símbolos ingleses tornaram-se ícones mundo afora. São o caso das cabines telefônicas vermelhas e quadradinhas, os ônibus de dois andares (mais sobre eles no decorrer da matéria) e, claro, o Big Ben.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o Big Ben não é a Torre do Relógio (Clock Tower), mas o grande sino que lá existe, na Casa do Parlamento (Houses of Parliament ou Palace of Westminster). Desde 1859 fornecendo as horas para os habitantes de Londres, o Big Ben, em toda a sua história, só parou de funcionar oitos vezes: seis por problemas mecânicos, uma vez por causa de uma bomba alemã durante a Segunda Guerra Mundial e outra por decisão das autoridades durante o funeral de Winston Churchill (ex primeiro-ministro inglês).

Conhecer a capital – Chegando lá, para fazer um tradicional tour para conhecer a cidade, pode-se optar por uma opção menos comum: um city jogging tour. É isso mesmo que parece: um tour de caminhada ou corrida pelos principais pontos da cidade que você escolher. Além de manter o treino em dia, dá para conhecer outros turistas e apreciar a cidade de uma perspectiva completamente nova.

Existem passeios para diferentes tipos de “corredores” (caminhadas, corridas leves com pequenas pausas e corridas mais longas) e também para diferentes interesses na cidade. Dá para escolher roteiros que passem pelos principais museus (como o Tate Britain e o Tate Modern), as capelas mais famosas (Westminster e St. Paul’s) e até passeios temáticos como os caminhos do bruxo Harry Potter ou do lendário Jack the Ripper (Jack, o estripador).

Na próxima página, veja como conhecer a cidade por outros meios e mais o que levar, onde ficar e comer.

Se a intenção da viagem for também dar uma pausa no treinamento, opções de transporte público e taxis não faltam. Os clássicos Black Cabs possuem motoristas licenciados com a garantia que conhecem toda e qualquer parte do centro de Londres. Durante a noite, a tarifa sai mais cara e também é mais difícil de encontrar um carro vazio na madrugada.

Para quem quiser uma opção mais em conta, Londres possui uma rede de transporte público muito bem distribuída. A dica é adquirir um Oyster Card, para que as viagens saiam mais baratas do que sem o cartão.

Os famosos ônibus vermelhos de dois andares, chamados de Routemasters, foram recentemente trocados por modelos novos. Entre os cidadãos, ainda há muita controvérsia sobre o design dos novos ônibus. Mesmo assim, vale a viagem pelo tradicional símbolo da capital, que funciona 24h por dia.

Aproveite o passeio para conhecer os parques de Londres. Na maioria deles dá para praticar esportes, inclusive natação e canoagem! O Hyde Park é um desses que oferecem diversas opções de lazer, como também lugares para andar a cavalo, jogar tênis e playgrounds para crianças. A ideia é que você praticamente se esqueça que está no coração da cidade em meio a 142 hectares de natureza. O parque também vai receber parte da estrutura olímpica para este ano.

Os museus da cidade também devem fazer parte do roteiro do turista. Londres abriga um dos mais importantes museus de arte moderna e contemporânea do mundo, o Tate Modern. O museu possui um acervo muito cobiçado pelos admiradores de arte e realiza exposições dos principais artistas da atualidade. A entrada geralmente é gratuita, é bom ficar atento à programação.

Quanto levar – Mesmo sendo membro da União Européia, o Reino Unido não aderiu ao euro, e a sua moeda oficial é a libra esterlina. Uma libra está cotada em média a R$2,82 (no dia 15 de março). E por isso, para passear, comer e se hospedar na terra da rainha esteja preparado para gastar. Londres é uma das capitais mais caras do mundo (ocupa a 17ª; para efeito de comparação, São Paulo está classificada como a 28ª).

Onde ficar – A maior despesa para os turistas geralmente é com acomodação. É possível encontrar quartos por 25 libras o pernoite, porém não espere muito deles. Quartos mais confortáveis saem por pelo menos 60 e até 120 libras. Há hotéis de luxo, redes hoteleiras mais baratas, como também albergues, campings e pessoas dispostas a alugar um quarto em suas próprias casas.

Onde comer – Comer na rua em Londres pode ser um bom negócio, já que a cidade tem boas opções a preços baixos em praticamente todos os bairros. Um bom sanduíche pode custar três libras. Nos restaurantes “da moda”, uma boa refeição para dois sai em torno de 80 a 100 libras e, em alguns casos, facilmente a conta pode chegar a mais de 150.

E nada mais britânico do que apreciar um legítimo chá da tarde. Muitos lugares servem diferentes opções de chás e, claro, os acompanhamentos. Nos lugares mais famosos, como The Berkeley, The Savoy e Fortnum&Mason’s, é preciso fazer reserva com antecedência.

Fontes: visitlondon.com, guia Lonely Planet, The Guardian, The Economist

Serviços: Tate Modern Museum – www.tate.org.uk
City Jogging Tour, empresa que organiza tours à pé pela cidade – www.cityjoggingtours.co.uk
Couch Surfing, rede social de pessoas que disponibilizam estadia nos seus sofás (couch, em inglês) – www.couchsurfing.org

Este texto foi escrito por: Fabiana Coletta

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts