Mais uma Sigla na Vida do Corredor: EPOC

Neste terceiro mês do ano muitos corredores planejaram metas e calendário de provas e já estão com volume de treino bem elevado, esquecendo-se de um fator super importante que é o descanso ou a fase de recuperação.

Existem diversos fatores que influenciam a recuperação como idade, tempo de treinamento, personalidade, temperatura, ambiente, alimentação, entre outros. Nesta coluna quero abordar o EPOC sigla em inglês: Excess Post Oxygen Consumption. São reações que ocorrem quando o organismo continua consumindo oxigênio e calorias acima do normal por vários minutos, ou até mesmo horas, após os treinos.

Esse fenômeno é diferente em cada corpo, pois depende de diversas variáveis como alteração da temperatura corporal Foto: Warren Goldswain/ Fotolia Esse fenômeno é diferente em cada corpo, pois depende de diversas variáveis como alteração da temperatura corporal Foto: Warren Goldswain/ Fotolia

Você deve ter se perguntado: o que o EPOC tem a ver com a recuperação? Essa nova referência está cada vez mais presente no cotidiano do corredor, pois é possível saber o seu consumo extra de oxigênio para seu organismo se recuperar do esforço realizado. Ou seja, você estará melhor preparado para novas sessões de treinos.

O EPOC é constituído por um componente rápido e outro prolongado. O componente rápido ocorre dentro de uma hora onde o organismo, para voltar ao seu equilíbrio, remove lactato, restaura o dano tecidual nos músculos, assim como a restauração do aumento da frequência cardíaca e da temperatura corporal.

O mesmo processo acontece no componente prolongado, porém o retorno ao estado de equilíbrio fisiológico ocorre em um nível mais baixo de energia. Nos dois ciclos, o principal substrato energético utilizado são as gorduras, ou seja, a queima de gordura pode ocorrer por até 15 horas, de acordo com pesquisas.

Ao mesmo tempo, após uma sessão de treinos, o organismo consume oxigênio extra para se recuperar, guardando uma relação direta com o gasto energético – a cada litro de O2 consumido, aproximadamente, cinco calorias são geradas.

Em termos práticos, por exemplo, se você correu 30 minutos, o corpo precisa descansar. Nessa fase, o organismo entra em reequilíbrio e se prepara para o próximo dia de treino, consumindo oxigênio e gerando energia. Caso esse período não seja cumprido, seu corpo entrará numa sessão de treinos em desequilíbrio e cansado e isso só tem a prejudicar sua saúde e desempenho.

Esse fenômeno é diferente em cada corpo, pois depende de diversas variáveis como alteração da temperatura corporal, níveis hormonais, reposição de oxigênio na circulação e no músculo, entre outros fatores.

Hoje existe no mercado relógios que medem o EPOC, e podem ser uma opção a mais para que não fique tão dependente somente dos valores do seu monitor de frequência cardíaca. Ele será um complemento para que dê a devida atenção ao descanso ou fase de recuperação.

Essa é mais uma ferramenta tecnológica para alertar que o importante é respeitar sempre nossos limites, isto é, além de cumprir com o descanso, saber exatamente quando diminuir a intensidade naquele dia em que a sua frequência cardíaca apresenta um comportamento diferente.

Quanto mais referências para monitorar seu nível de cansaço, como o EPOC, melhor será a otimização de seus treinos. Porém, nunca se esqueça que somente você conhece suas reais condições físicas e mentais e pode avaliar o tempo ideal de descanso. Portanto, caso necessário, revise seu planejamento e inclua o descanso na programação de treinos. Tenho certeza que dessa maneira você atingirá suas metas com sucesso e saúde.

Este texto foi escrito por: Aulus Sellmer

Aulus Sellmer

Aulus Sellmer

Bacharel em Esporte pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFEUSP) com especialização em treinamento desportivo pela USP, marketing esportivo pela UCLA Berkeley EUA e administração esportiva pela FGV-SP. Atualmente é pos graduado no curso MBA Qualidade de Vida em Gestão Corporativa pela Universidade São Camilo; pos graduando no curso Fisiologia aplicada à clínica pela UNIFESP; proprietário da assessoria esportiva 4any1, colaborador da Rádio Eldorado FM 107,3 e revista Contra Relógio.

Ver todos os posts