Marílson Gomes enfrenta corredores de elite de outros países

James e Marílson brigarão pelo pódio nesta sexta-feira (31/12) (foto: Sérgio Shibuya / ZDL)
James e Marílson brigarão pelo pódio nesta sexta-feira (31/12) (foto: Sérgio Shibuya / ZDL)

Os dados estão lançados e as apostas para a São Silvestre já começaram. Embora não seja mais novidade o excelente currículo dos candidatos ao pódio de amanhã (30/12), vale lembrar que os palpites se dividem entre James Kwambai, do Quênia, Marílson Gomes, do Brasil e Abderrahime Bouramdane, do Marrocos. James Kwambai foi bicampeão da disputa em 2009 e 2008, assim como Marílson, que venceu no ano de 2005 e 2003.

Apesar dos dois terem o mesmo número de vitórias na prova, o brasileiro foi quem finalizou o percurso em menor tempo, aos 43min21, há cinco anos (contra os 44min40 do queniano, marca conquistada na edição passada). “Os James é um atleta que a gente precisa ter respeito. Não só com ele, mas também com os demais estrangeiros, que darão muito trabalho”, confessa Marílson, recordista sul-americano dos 5.000 m e dos 10.000 m em pista, da meia-maratona, e bicampeão da Maratona de Nova York (2006 e 2008).

“É agradável quando existem atletas de outros países na prova, pois ela fica mais bonita, mais disputada”, acrescenta o fundista de 33 anos. Além de James, o brasiliense concorre ao lado do marroquino Bouramdane, que fez o melhor tempo pessoal na Maratona de Londres (2h07min33) neste ano e foi vice-campeão da Maratona de Chicago em 2009. Marílson, nos mesmos 42 quilômetros percorridos por Bouramdane, no país de shakespeare,conquistou seu recorde há dois anos (2h08min37),.

Marílson afirma que hoje é mais fácil correr fora de casa. “Há muita pressão. Mas isso a gente já esperava por causa da grande atenção que desperta a prova. Mas o atleta para ter resultados e ser reconhecido acaba aprendendo a lidar com a cobrança”, diz o recordista sul-americano, que é o favorito de Bouramdane.

“Entre James e Marílson eu aposto no brasileiro. Acho o James um bom competidor, mas não creio que ele vencerá”, diz o marroquino, especialista em provas de longa distância, que começou correr aos 13 anos de idades no colégio. “Quando dei minhas primeiras passadas descobri que era isso que queria fazer para o resto da minha vida”, relata o corredor de 32 anos.

Outros atlestas – Também entra para a lista de fortes competidores os seguintes nomes estrangeiros: Barnabas Kosgei (campeão da Volta da Pampulha e vice-campeão da 10K Rio Corrida Pan-Americana este ano); Mark Korir (campeão da 10K Rio e vice-campeão da Volta da Pampulha 2010); Mathew Cheboi (campeão da Meia Maratona de Belgrado, na Sérvia, em 2009, e vice-campeão da Meia Maratona de Bologna, na Itália ano passado); Marco Joseph e Mohamed El Hashimi (campeão das provas de 10k de Kaatsheuvek e Neerpelt, ambas na Holanda, em 2008).

Além de Marílson, os atletas nacionais com chances de ganhar são Damião Ancelmo de Souza, que este ano disputou 18 provas de rua e chegou ao pódio em quase todas (11 vitórias), o brasiliense Clodoaldo Gomes da Silva (segundo colocado na São Silvestre de 2006 e o melhor do Brasil na edição do ano passado) e Franck Caldeira (campeão da Maratona de São Paulo, tricampeão da Volta Internacional da Pampulha, primeiro colocado na São Silvestre, bicampeão da Meia Maratona do Rio e medalhista de ouro na maratona do Pan-Americano do Rio 2007). O recorde da São Silvestre, de 43min12, pertence a Paul Tergat desde 1995.

Este texto foi escrito por: Monique Barleben

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts