Mesmo fora das Olimpíadas, Juraci Moreira não pensa em aposentadoria

Juraci Moreira não consegue vaga para os Jogos Olímpicos (foto: Divulgação)
Juraci Moreira não consegue vaga para os Jogos Olímpicos (foto: Divulgação)

No último domingo (27/05), o Mundial de Triathlon em Madrid, na Espanha, foi a última oportunidade para os triatletas garantirem uma vaga para as Olimpíadas de Londres. O brasileiro Juraci Moreira não conseguiu ficar entre os cinco melhores na etapa, mas não lamenta a ausência nos jogos.

O triatleta participou da estreia da modalidade nas Olimpíadas de Sidney, em 2000. Depois, seguiu para a Atenas, em 2004, e foi o melhor latino-americano em Pequim, em 2008. No entanto, Juraci conta que seu objetivo agora é se concentrar para competições diferentes, como as provas de triathlon cross-country do circuito XTerra.

“Aposentar nem pensar. Pretendo descansar um pouco e, principalmente, me recuperar fisicamente e deixar o meu corpo em condições de começar um novo desafio, um novo projeto”, revela.

Mas o atleta não descarta a chance de disputar os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. “Com certeza gostaria de buscar essa quarta olimpíada que não veio agora, em meu País. O desafio é enorme e vou pensar seriamente nisso”, afirma.

Sobre a vaga para Londres, Juraci destaca que fez o seu melhor e parabeniza Reinaldo Colucci, Diogo Sclebin e Pamella Oliveira, que estarão nos jogos pelo Brasil.

“Se não serei eu dessa vez lá em Londres, acredito e confio nos meus companheiros de seleção, que nos representarão nessa Olimpíada e, tanto quanto eu, fizeram por merecer as vagas conquistadas”, conta.

O maior adversário do triatleta, explica Juraci Moreira, são as lesões. “Não tenho dúvida que muitas das minhas lesões são resultados dos muitos treinos e competições que realizei nesses 14 anos que disputo do Circuito Mundial. As lesões, infelizmente, fazem parte da vida de um atleta de alto rendimento”, admite.

Em todos esses anos em que transformou o esporte em sua profissão, Juraci Moreira traz muita história para contar. Em 2013, ele pretende passar os ensinamentos para frente e percorrer os estados brasileiros realizando encontros e palestras para crianças e adolescente para incentivar a prática do triathlon. “Quero passar minha história adiante e motivar a prática de um esporte saudável e divulgar o triathlon por todo o País”, comenta.

Este texto foi escrito por: Webrun

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts