Musculação ou cardio: qual devo fazer primeiro?

Em algum momento do seu treinamento, você já deve ter se perguntado: qual modalidade devo fazer antes? Musculação ou exercício cardiorrespiratório? Bom, segundo especialistas isso depende muito do seu objetivo no treinamento. A combinação é excelente, mas a ordem realmente pode fazer a diferença no resultado final.

O professor de educação física, Arnold Gomes, explica que a junção é denominada treinamento concorrente. “A modalidade de força induz um aumento da massa corporal magra e do metabolismo basal, ou seja, em repouso. Enquanto o cardiorrespiratório induz a redução da gordura corporal, principalmente o estímulo anaeróbio, por ser muito intenso e fazendo com que seu corpo utilize mais oxigênio em repouso, gastando energia”.

A modalidade de força induz um aumento da massa corporal magra e do metabolismo basal Foto: Hoda Bodgan/Fotolia
A modalidade de força induz um aumento da massa corporal magra e do metabolismo basal Foto: Hoda Bodgan/Fotolia

Como descobrir a melhor opção?

Primeiramente é necessário buscar orientações de profissionais da área. De nada adianta escolher um treino e fazê-lo sem parâmetros, baseado apenas no seu conhecimento de pesquisa. O educador físico foi capacitado e estudou para entender melhor a necessidade de cada aluno.

Segundo Arnold se seu objetivo é resistência deve-se colocar exercícios de cardio no início, porém se a necessidade é ganho de força e melhor desempenho, busque iniciar o treinamento com a musculação. “Isso se dá pelo fato do estoque de glicogênio muscular, nada mais que nossa energia, ser mais elevada no início do treinamento e por isso o melhor rendimento virá no que for feito primeiro, já que estamos menos fadigados inicialmente”.

Inscreva-se para a 40ª Corrida Santos Dumont clicando aqui!

Estudos indicam que a corrida não afeta o treinamento de membros superior, pelo fato de utilizar grupamentos diferentes, mesmo assim ao comparar com o treinamento de inferiores após a corrida, houve uma queda de rendimento, devido a fadiga residual instalados nos músculos.

 

Primeiramente é necessário buscar orientações de profissionais da área Foto: Jacob Lund/Fotolia
Primeiramente é necessário buscar orientações de profissionais da área Foto: Jacob Lund/Fotolia

Inclua a periodização

O Prof. Dr. em Fisiologia do Exercício, Profissional de Educação Física e nutricionista clínico e esportivo, Ricardo Zanuto diz que a periodização proporciona ao atleta, um melhor rendimento. “Ela evita que se sofra alguma lesão. Dificilmente um praticante de atividade física consegue sustentar um treino de alta intensidade por muito tempo e é exatamente por isso que existem diversos métodos de periodização, para controle de carga, intensidade e volume. Desta forma o praticante tem a chance de alcançar o máximo de rendimento em uma competição”.

Além disso, a periodização sistemática permite a criação de microciclos ou macrociclos, podendo ser semanal, mensal, trimestral, semestral ou até mesmo anual. “Vai depender do tempo de preparo do aluno e objetivo. Mudamos os estímulos, métodos, intervalos e exercícios usados. Isso também diminui o risco de lesões, uma vez que tudo será planejado individualmente”, diz Arnold.

Aprenda a respeitar seu limite, mas troque com o especialista. “Um grande cansaço pode ser considerado errado ou parte do planejamento”, alerta Zanuto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Christina Volpe

Christina Volpe

Comecei como corredora, depois me tornei jornalista e repórter do Webrun. Hoje sou editora e convivo diariamente com o esporte há 3 anos. Meu coração bate mais forte toda vez que um atleta conquista seu objetivo, uma corrida acontece e assisto uma competição emocionante. Sempre estou aprendendo e dando meu melhor.

Ver todos os posts