Natação: saiba como nadar melhor e corretamente!

Seja na piscina ou no mar, a natação é um esporte extremamente completo. Ela faz você treinar o corpo todo, não tem impacto, melhora o tônus muscular, queima calorias, reduz os sintomas das alergias e ainda fortalece o coração. Mas se você está pensando em adotar a modalidade como a sua prática esportiva, não basta comprar óculos, touca e cair na água. O primeiro passo é procurar ajuda profissional.

Depois de alguns meses de prática, parece que o treino não exige tanto esforço e você tem vontade de ir além, conseguindo dar mais braçadas no nado sem ficar muito ofegante. Com a orientação adequada, é possível modificar o treino de natação para melhorar o rendimento e não deixar o corpo acostumado com a mesma carga de exercício. O diretor técnico da LF Assessoria Esportiva Leonardo Moraes, deu algumas dicas de como aprimorar seus treinos na natação, fazendo com que você aumente a potência de seus nados, veja:

natação
Foto: SGr/Fotolia

Nado Borboleta

1. Sincronia e Ritmo
No nado borboleta é preciso ter uma sincronização perfeita entre pernadas e braçadas. Você deve ondular no mesmo ritmo da braçada, para não prejudicar sua hidrodinâmica e não se cansar mais rápido sem sair do lugar. Tente combinar as ondulações,com as diferentes fases da braçada; uma durante a puxada e outra durante a fase de recuperação (fase aérea) da braçada.

 

2. Séries de perna
A ondulação eficiente vai ajudar a manter o corpo estável durante o nado e a economizar força de braçada para respirar. É importante sempre procurar fazer séries de perna de ondulação, com ou sem prancha e fortalecer bem os músculos pra garantir um bom ritmo de nado depois.

 

Nado Crawl

3. Posição da cabeça
Olhar sempre para baixo, no chão da piscina, para poder relaxar os ombros e trapézio. Com esse posicionamento da cabeça o quadril também sobe, favorecendo a flutuação do mesmo, tendo um nado mais leve

 

4. Braçada correta
Para fazer a braçada correta do crawl é preciso aliviar um pouco a aplicação da força até que sua mão e antebraço estejam alinhados e na vertical (ponta dos dedos apontando para o fundo da piscina). É necessário ter o mínimo de mobilidade articular nos ombros, por isso é preciso incluir alongamentos no programa de treinamento.

 

Participe do mais novo Circuito de triathlon do Brasil!

 

Nado Costas

5. Pernada
O importante é tentar fazer o máximo de bolhas que você conseguir, batendo as pernas relativamente estendidas, relaxando os tornozelos e tentando começar o movimento nos quadris. Se os joelhos estiverem saindo da água, significa que estão muito dobrados durante a batida de pernas.

 

6. Posição corporal
O corpo deve estar paralelo ao nível da água e é a cabeça que controla o movimento. O nariz deve estar apontado para cima, ombros levemente para frente e as costas um pouco curvadas, lembrando o formato de um barco.

 

Nado Peito

7. Posicionamento do corpo
Manter o corpo na superfície da água, com ombros e quadril alinhados, efetuando o movimento de pernas e pés ao flexionar os joelhos e aproximar os calcanhares do quadril. Girar os pés para fora, iniciando o movimento de empurrar a água para trás com as plantas dos pés. Mover os pés para fora finalizando o movimento com joelhos aproximados e estendidos, com peito dos pés aproximados e voltados para o fundo da piscina.

 

8 – Respiração
Respirar ao final dos círculos desenhados com as mãos próximas do tronco, elevando o rosto acima da superfície da água. Posicione novamente o rosto na água quando iniciar um novo círculo, unindo as palmas das mãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gabriel Gameiro

Gabriel Gameiro

Estudante de jornalismo, que caiu no mundo dos esportes por acidente e com o tempo aprendeu a amar. Gosta do que faz e apesar de ainda não ser um corredor ama fazer spinning e cobrir corridas.

Ver todos os posts