Potencial para a difusão da Power Walking no Brasil

Os motivos são vários e claros, para pensar na Power Walking como atividade física parte do cotidiano de milhares de brasileiros, talvez num futuro próximo.

O Campo das Preferências:

Uma pesquisa do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul (Celafiscs) revelou que nada menos que 80% dos paulistanos têm a caminhada como atividade física preferida.

É chegada a hora, quando for o caso, dos profissionais envolvidos com atividade física assumirem essa preferência, não tendo mais a caminhada somente como atividade patamar a outras, admitindo assim, que o fim em si mesma pode ser justificável.

Ao preterir a caminhada em favor de outra atividade ao seu orientado ávido por caminhada, fundamentado na fraca resposta dela na solução dos objetivos pretendidos, “você” elimina os problemas. Ao dar condições de realizar a caminhada, atividade física que ele prefere, atendendo ao mesmo tempo aos objetivos que estabeleceu, “você” soluciona os problemas.

A preferência pela caminhada se confirma também em inesperados grupos estratificados, como por exemplo o de estudantes universitários, onde imaginava-se a inclinação maciça para atividades mais vigorosas e de disputa, visualizando assim, a caminhada como atividade pouco atrativa. Sendo a Power Walking muito próxima à caminhada ordinária, em termos de movimento, ela poderá conquistar muitos adeptos em todas as faixas etárias de qualquer grupo diferenciado.

Este texto foi escrito por: Claudio Bertolino

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts