Principais provas da modalidade cadeirantes

Cadeirantes na largada na Maratona Internacional de São Paulo (foto: Fernanda Paradizo)
Cadeirantes na largada na Maratona Internacional de São Paulo (foto: Fernanda Paradizo)

No Brasil, não temos provas específicas para a participação de atletas Cadeirantes. As únicas provas exclusivas da modalidade são realizadas em Oita, no Japão, e em Daegu, na Coréia do Sul, também temos uma em Nova York.

Confira quais são as principais competições que acontecem no mundo neste primeiro semestre:

Daegu Marathon Daegu Coréia É prova específica para cadeirantes, tida pelos que já participaram da mesma como uma prova fantástica.

BAA Boston Marathon Boston – EUA – Acontece sempre no mês de abril. Tem a maior premiação em dinheiro dentre todas as provas para corredores cadeirantes. Só corre a elite dos atletas mundiais. Os tempos são fantásticos e a média do vencedor, gira sempre em torno de 1.’21.”00 e 1.’23.”00. Só aceitam inscrição para corredores que conseguem finalizar uma maratona em 02h ou tempo abaixo de 2 horas.

Maratona de Paris França – Acontece sempre no mês de abril. Tem uma premiação muito boa e o percurso é excelente, fora a largada que é na Champs Elisié (piso irregular), mas o restante do percurso é muito bom com poucas subidas.

Achilles Marathon – New York/EUA – Acontece todos os anos no mês de abril. Percurso misto com subidas e descidas. Inscrição U$ 80,00 (em torno de oitenta dólares). A organização disponibiliza hospedagem em hotel no coração de Manhattan, A meio quarteirão do Times Square. Tem uma premiação de U$ 1.000,00 (mil dólares) somente para o primeiro em cada categoria. Disputam cadeirantes (push rim) amputados e handcicle (cadeiras com engrenagens)

No Brasil temos a participação de cadeirantes nas principais provas do país, como:

Rústica Semana de Porto Alegre – Realizada no mês de março, na cidade de Porto Alegre no Rio Grande do Sul. Prova de 10km muito rápida pois o percurso é totalmente plano. Cobra de inscrição 02 (dois) quilos de alimento não perecível. Tem uma peculiaridade que a torna singular no Brasil e Exterior. O valor da premiação em dinheiro ofertada ao primeiro colocado no naipe masculino e feminino “andantes” é o mesmo destinado aos cadeirantes. Não há premiação para o naipe feminino, uma vez que nunca houve participação de mulheres nesta prova. A premiação havia, porém por dois anos seguidos não houve a participação e foi excluída pela organização até que volte a participação de competidoras. Ainda não existe alojamento aos atletas, mas estamos em negociação, mas é garantido o transporte do terminal rodoviário e aeroporto e para o local da prova. É ofertado o Troféu Aldo Potrich (professor de educação física e grande incentivador do paradesporto) aos primeiros colocados. A cerimônia de premiação acontece com muita pompa e é ponto alto da prova. Os atletas cadeirantes recebem premiação no pódium.

Maratona Internacional de São Paulo – Acontece no mês de maio na cidade de São Paulo. Tem um percurso altamente técnico, para cadeirantes (com inúmeras subidas) e túneis. O asfalto é horrível e existem muitos buracos no percurso, dificultando ainda mais a prova para cadeirantes. O valor da inscrição é em torno de R$ 30,00 e paga como prêmio em dinheiro ao primeiro colocado R$ 750,00 ao segundo R$ 625,00 ao terceiro R$ 500,00. A organização coloca transporte para deslocamento dos atletas a partir dos Terminais Rodoviários e Aeroporto de Congonhas. Transporte para o Aeroporto de Cumbica a organização não disponibiliza transporte uma vez que o referido Aeroporto é fora da Capital e fica no município de Guarulhos. Não existe premiação com troféus aos atletas cadeirantes, mas a cerimônia de premiação é exemplar, com acesso dos competidores em cadeira de rodas ao pódium através de rampa.

Maratona Internacional de Porto Alegre – Realizada no mês de março, na cidade de Porto Alegre no Rio Grande do Sul acontece no mês de junho. Tem um percurso muito bom para corredores cadeirantes (plano) mas o asfalto não é dos melhores (áspero) mas podem ser feitos bons tempos. A premiação porém é a pior do país. Este ano a prova pagou R$ 100,00 (cem reais para o primeiro colocado, R$ 70,00 (setenta reais) para o segundo e R$ 50,00 (cinquenta reais) para o terceiro colocado. Levando-se em consideração o valor da inscrição R$ 50,00 (cinquenta reais). A organização da prova não se responsabiliza com nenhuma ajuda aos corredores, tipo deslocamento do aeroporto ou terminal rodoviário até o hotel, também não disponibiliza alojamento. A cerimônia de premiação é falha e os cadeirantes nunca vão ao pódium por falta de rampa (apesar de protestos todos os anos).

Este texto foi escrito por: Carlos Roberto Oliveira

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts