Quem soltou os cachorros ? O perigo de animais soltos nas ruas

O atleta Leandro dos Santos Oliveira sofreu com um cachorro solto durante uma prova em 2006 (foto: Renato Cukier/ www.webrun.com.br)
O atleta Leandro dos Santos Oliveira sofreu com um cachorro solto durante uma prova em 2006 (foto: Renato Cukier/ www.webrun.com.br)

Em função das provas mais longas para as quais estou treinando, além dos treinos no Parque do Ibirapuera e na USP, ultimamente tenho corrido muito pelas ruas perto de minha casa, sobretudo de manhã bem cedo. Correr na rua, não sendo em horário de muito trânsito e poluição é muito agradável e nos dá uma grande sensação de liberdade, mas uma coisa sempre me preocupou muito: os cachorros soltos!

Sou fã número 1 dos quatro patas, tenho uma aqui em casa que nos adotamos abandonada na rua, que pega o chinelo quando chegamos e tudo mais. Se pudesse teria vários, mas soltos nas ruas é algo bem complicado e preferível não arriscar. Embora nunca tenha sido vítima, já vi algumas pessoas sendo mordidas em parques, inclusive um colega meu que treinava para uma grande maratona nos EUA e quase ficou de fora. Quando você passa correndo, o animal pode interpretar que você está fugindo e com medo.

Outro dia fui fazer um treino de subidas e descidas em meu bairro e quando estava chegando na subida principal, cruzei com um grupo de seis cachorros soltos. Quando é um só, finjo que não vejo, diminuo o ritmo, passo e depois continuo, mas com aqueles todos, grandes, olhando para mim com cara de poucos amigos, ainda mais agora que estou mais magrinho, achei mais inteligente fazer meia volta e deixar a tal subida de lado. Depois que terminei o treino acabei lembrando aquela famosa música “ Who Lets The Gogs Out? ” (Quem soltou os cachorros?)

Anos atrás uma pessoa ia treinar na USP com cão da raça Rottweiller, sem coleira nem guia curta de condução, enforcador e fucinheira. Isso é proibido por leiem parques municipais,

de acordo com a Portaria 4/05- da SVMA- Secretaria de Verde e Meio Ambiente, que foi estabelecida considerando a legislação municipal (lei 10.309, de 22 de abril de 1987 e lei 13.131 de 18 de maio de 2001), a legislação estadual (Lei Estadual 11531 de 11 de novembro de 2003) e federal (Lei das Contravenções Penais – Decreto Lei Federal 3688 de 03 de outubro de 1941) que tratam da condução responsável de animais.

Tudo bem, o cachorro até pode ser manso, embora não seja algo tão comum em algumas raças e dependa muito do tipo de tratamento que os donos derem. Mas se nós, que somos racionais, já temos nossos famosos “ cinco minutos ” e de vez em quando perdemos a compostura, imaginem um cão sem coleira tendo uma crise em meio a um grande grupo de pessoas correndo, andando, pedalando e etc.

Uma pesquisa de 2009 mostra que em São Paulo, 10 pessoas por hora foram atacadas por cães ferozes, o que dá uma média de 240 por dia e 87.600 por ano. A população canina no país é simplesmente a segunda maior do mundo, com cerca de 30 milhões, perdendo apenas para os EUA com cerca de 61 milhões. O pior é que muitas pessoas abandonam seus cães na rua quando vão viajar e não tem aonde os deixar, ou quando acham que não tem mais condições de cuidar. Além de muito cruel e covarde, este ato é criminoso, pois de acordo com a Lei 9.605/98, abandono de animal é crime e a pena é de um a três meses de reclusão, ou multa de R$ 500 por animal abandonado.

Há algumas ONGs (Organizações Não-governamentais) no país que cuidam de cachorros abandonados. São grupos de voluntários na luta contra o abandono de animais e da conscientização das pessoas, que realizam castrações em comunidades carentes e auxílio propriamente dito a cães abandonados, que após receberem os primeiros cuidados, são castrados e encaminhados a doações.

Não sou veterinário, nem alguém entendido em psicologia canina, mas quando você estiver correndo e ver um cachorro solto, na dúvida é mais recomendável fazer um pequeno intervalo e andar do outro lado da calçada, evitar olhar direto nos olhos dele, ou simplesmente modificar o caminho. Os Greyhounds, que são os galgos mais velozes, podem atingir até 75km/h, os Pitt Bulls cerca de 48.270 km/hora e já que Usain Bolt, o homem mais rápido do mundo chegou a máxima de 44,72 km/hora, para escapar de um dog correndo só se você tiver muita sorte!

No mais, recomendo que cuidem muito bem de seus animais, tratando-os com todo amor, carinho, atenção e nunca esquecendo de sempre os levar para passear com coleira e guia. Para adotar ou apadrinhar um cão, sugiro que acessem o site www.patinhasonline.com.br.

Bons treinos a todos nós e muita saúde ao melhor amigo do homem!

Este texto foi escrito por: Nelson Evêncio

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts