Quero ser um ultramaratonista e agora?

Já pensou em passar a barreira dos 42km? Enquanto para muitos isso é algo impossível, outros sonham e vão, literalmente, correr atrás de seus sonhos. Nem todos conseguem, afinal um desafio como esse exige perseverança, disciplina e muito foco no objetivo final.

Emerson Bisan é ultramaratonista, treinador e criador da Assessoria Nova Equipe, ele já enfrentou diversas distâncias e, além de continuar competindo, hoje treina corredores que sonham em ser como ele, verdadeiros desbravadores de distâncias aparentemente impossíveis.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Primeiros passos

Segundo Emerson não existe tempo certo para se tornar um ultramaratonista, o essencial é que o corredor tenha consciência de que volumes altíssimos de quilometragem serão atingidos durante treinos, os quais devem ser encaixados na rotina de trabalho, vida em família e lazer. “O corredor precisa saber qual o real motivo de enfrentar uma ultra. São muitas as dificuldades, ainda maiores que o tempo de prova”.

“Já treinei ultra estreantes que começaram com 50 ou 75 quilômetros, mas ainda tenho amigos que já correram mais de 10 maratonas e ainda se sentem inseguros, para encarar mais que isso”, conta o treinador.

Tudo depende do histórico de vida esportiva, estado clínico e físico do corredor e principalmente da disponibilidade para os treinos. Ele pode nunca ter feito uma maratona oficial, mas durante o ano de preparação, com certeza, fará várias vezes a distância da maratona e até além disso.

“Se o corredor estiver motivado a se superar e vencer a logística de treino, pois os volumes requerem mais disponibilidade de tempo, pode dar certo. Mas não existe um tempo definitivo para fazer uma prova dessa”, explica Emerson.

Como aumentar o volume?

Além de contar sempre com o acompanhamento de um treinador, o volume deve aumentar de forma gradativa, sem muito choque. O que define sua segurança e durabilidade nos longos é a adequação da intensidade, que pode ser precisamente revelada em avaliações. O trabalho preparatório básico, com um bom fortalecimento, pode ser fundamental para o aumento de carga de treino com segurança e sem risco de lesão”.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Qual prova escolher?

“Temos provas de pista onde você corre a maior distância possível durante 6h, 12h, 25, 42h e até dias. Considero essa situação de controle total a melhor, já que é possível levar sua logística para bem perto, com poucas chances de falha. Uma boa oportunidade para o corredor fazer estratégia de ritmo, suplementação e descanso”, indica.

Existem ultras dentro de provas de revezamento, eventos especiais para montanhistas onde além da distância, a altimetria também é o desafio, cabe apenas ao corredor escolher a corrida.

+ Clique aqui e inscreva-se para a 14ª Maratona de Revezamento Ayrton Senna!

Evite problemas

É preciso fazer avaliações clínicas, físicas, médicas e de performance. O acompanhamento nutricional é fundamental para manutenção da energia, hidratação e suplementação até o dia da corrida. Materiais utilizados como tênis, meias, roupas, itens obrigatórios e até mochilas são estratégicos e podem ser fundamentais para concluir os desafios.

“O cuidado com os pés, por causa das assaduras, são os grandes inimigos dos ultras. É possível suportar uma bolha até o final de 42 km, mas isso pode ser fatal em uma prova que tem 5 vezes ou mais essa distância”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gabriel Gameiro

Gabriel Gameiro

Estudante de jornalismo, que caiu no mundo dos esportes por acidente e com o tempo aprendeu a amar. Gosta do que faz e apesar de ainda não ser um corredor ama fazer spinning e cobrir corridas.

Ver todos os posts