Renove suas força da corrida como a águia

Mais um novo ano se inicia. Hora de renovarmos nossas esperanças, nossas forças, nosso fôlego, reestruturarmos nossa programação de treinos para novas conquistas. Quando o assunto é renovação ou reestruturação, a história da águia é um dos mais felizes exemplos e uma das mais utilizadas metáforas.

Águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie. Ela vive até 70 anos. Mas, para chegar a essa idade, ela precisa tomar uma séria e difícil decisão aos 40. Nessa idade ela fica com as unhas compridas e flexíveis e conseqüentemente não consegue mais agarrar as presas das quais se alimenta. O bico está alongado e pontiagudo pressionando-lhe o peito. Já as asas estão envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas. Voar já está estupidamente difícil! Então, só lhe restam duas alternativas: morrer ou enfrentar um doloroso processo de renovação que durará 150 dias.

Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão, onde esteja protegida dos predadores. Após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico na parede até conseguir arrancá-lo. Depois, espera nascer um novo bico, pois com ele arrancará suas unhas gastas. Quando nascem as novas unhas, ela passa a arrancar as velhas penas uma a uma. Após CINCO longos meses de sofrimento, com bico, garras e penas novas, a águia sai para o famoso vôo de renovação e VAI VIVER MAIS 30 ANOS!

A rotina, tanto mental quanto motora, é um dos maiores inimigos de nosso cérebro. Esta máquina fantástica, de pouco mais de um quilo e que registra milhões de informações por segundo, é ainda obscura e sujeita a hipóteses, mas é sabido que precisa das mais variadas formas de estímulos para ser explorada ao máximo. Nossos preciosos cerca de 212 músculos, por exemplo, compõem um sistema capaz de efetuar uma imensa variedade de movimentos como contrações musculares, que também são controlados e estimulados por este cérebro.

A vida nas grandes cidades, as facilidades do mundo moderno e a luta contra o tempo para realizarmos tantas atividades, acabam nos tornando escravos desta rotina. É muito comum as pessoas fazerem sempre as mesmas coisas, nos mesmos horários e locais, mas, muitas vezes, sem ser de forma prazerosa e, para piorar ainda mais a situação, sob uma certa dose de obrigação.

Alguns ficam tão automatizados que fazem questão de percorrer sempre o mesmo caminho, de carro ou a pé, de parar seus carros sempre nos mesmos locais, correr os mesmos percursos, repetir as mesmas séries, os mesmos treinos e as mesmas provas. Após algum tempo, estas pessoas fatalmente acabam enjoando do que estão fazendo e, aquilo que antes era um grande prazer, acaba tornando-se uma coisa aborrecida, além de não produzir ou de produzir bem poucos resultados.

Diz uma sábia frase, muito conhecida no ramo da administração: “Loucura é fazermos sempre as mesmas coisas e esperarmos por resultados diferentes”.
Para evoluirmos na vida e não cairmos no marasmo, precisamos sempre lutar contra a “zona de conforto”. Muitas vezes é necessário seguir o exemplo da velha águia, pois se quisermos viver mais e melhor, precisamos trocar nosso bico, nossas penas e nossas asas, mesmo que este processo possa ser muito doloroso.

Precisamos lutar incessantemente contra a rotina, procurar treinar em locais diferentes, em horários diferentes. Treinar em subidas, descidas, nas trilhas, nas praias. Percorrer novos horizontes, buscar novos desafios, estabelecer novas metas e objetivos. Fugir das já tradicionais provas que acontecem sempre nos mesmos locais e nas mesmas distâncias. Aumentar e variar bem estas distâncias, renovar a velha série de musculação, a planilha de treinos de corrida, enfim, renovar nossos esforços para podermos partir para novas e grandes conquistas. Um grande desafio para o novo ano!

Este texto foi escrito por: Prof. Nelson Evêncio

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts