Revezamento Volta à Ilha 2011 tem mudança de clima e novo campeão

A chuva dos anos anteriores deu lugar ao sol (foto: Alexandre Koda/ www.webrun.com.br)
A chuva dos anos anteriores deu lugar ao sol (foto: Alexandre Koda/ www.webrun.com.br)

Para quebrar a regra das duas últimas edições da Volta à Ilha, a cidade de Florianópolis (SC) amanheceu com sol em vez de chuva neste sábado (30/04). Mas não foi apenas isso que surpreendeu o público, pois desta vez os campeões dos últimos cinco anos não cruzaram a linha de chegada em primeiro lugar.

A vitória ficou com a equipe Beckhauser Malhas, de Tubarão (SC), após uma disputa ferrenha com a Paquetá Esportes Asics, defensora do título. A largada das equipes de elite aconteceu a partir das 7h15 no trapiche da Avenida Beira Mar Norte e os atletas partiram para uma jornada de 150 quilômetros.

Já os amadores, os verdadeiros protagonistas do desafio, começaram a prova antes mesmo de o sol raiar, às 4h, quando a temperatura ainda era bastante fresca, na marca dos 18˚C. Atletas de várias partes do país se revezaram em equipes de até 12 participantes e enfrentaram trechos com dunas, praia, trilhas e morros.

O grupo de Daniel Michelazo saiu de Curitiba para disputar pela segunda vez da prova na Ilha da Magia. “Comparado ao ano passado, ficou mais fácil porque não choveu. Mesmo assim, no trecho de praia a maré foi alta do mesmo jeito”, relata o integrante da equipe HP Sports. “A chuva deu uma refrescada no final, mas foi ruim, pois acaba endurecendo um pouco os músculos”, completa o corredor que já disputou outros revezamentos, mas considera a prova deste sábado a mais charmosa.

Uma das representantes da Cidade Maravilhosa, a equipe MlMix Run, esteve na disputa com diversos grupos, entre eles o de Marco Montali, que esteve acompanhado de seis colegas. “Essa é melhor prova do mundo, foi minha segunda participação”, comenta. “Passamos o dia inteiro com a equipe e todo mundo se ajudando, pois você depende um do outro para chegar”.

Além dos obstáculos naturais, os corredores foram desafiados em algumas vias pelo trânsito, obras, interdições e, inclusive, uma tropa de cavalos. “No quilômetro cinco me deparei com cavalos. Não eram para estar lá, mas tudo bem, já que não avançaram na gente e foi até divertido”, comenta Marco bem humorado, que prefere quando o dia é chuvoso. “O calor te mata, é complicado, mas não podia desistir para não prejudicar a equipe”.

Mais estados – Patrícia Cunha, da Guana Trainer, de Belo Horizonte (MG), explica que um de seus companheiros passou mal durante o trajeto e não conseguiu prosseguir. “Tivemos que correr o trecho dele e ainda conseguimos terminar dentro do prazo limite”. A equipe estreante na Volta à Ilha não só superou a ausência do parceiro, como também ignorou as variações do clima no decorrer do dia. “O lugar é lindo e com certeza voltaremos no próximo ano”, completa.

Os anfitriões, da Floripa Runners, não se cansam das belas paisagens da região. “Tivemos um dia maravilhoso e a integração da nossa equipe foi total”, conta Aline Mafra. Para grande parte dos paulistas, maioria dos inscritos, trocarem os arranha céus por praias e trilhas junto com os amigos, é uma maneira de quebrar a rotina.

“O pessoal está super contente. Dos onze integrantes, apenas três já tinham corrido esta prova”, conta André Ricardo, da BR Move Assessoria Esportiva. “Para alguns foi a primeira competição da vida. Entrar logo de cara em um revezamento é muito legal”, acrescenta. Neste domingo (01/05), a partir das 9h30, acontecerá a cerimônia de premiação, onde serão divulgados os tempos oficiais de cada equipe.

Este texto foi escrito por: Monique Barleben e Alexandre Koda

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts