São Silvestre: Franck Caldeira dá dicas aos novatos

Franck Caldeira quer brigar pelo pódio  mas vai com cautela (foto: Ricardo Leizer/ www.webrun.com.br)
Franck Caldeira quer brigar pelo pódio mas vai com cautela (foto: Ricardo Leizer/ www.webrun.com.br)

Franck Caldeira, 26 anos, disputará no próximo dia 31 mais uma edição da tradicional Corrida de São Silvestre, prova de 15 quilômetros que percorre as ruas de São Paulo. Com uma larga experiência na bagagem, inclusive a vitória da São Silvestre em 2005, ele dá algumas dicas para os marinheiros de primeira viagem.

“Primeiro de tudo é necessário fazer um acompanhamento médico para saber se está tudo ok e procurar um profissional para elaborar um treino”, relata o atleta que tem como técnico o Dr. Henrique Viana. “Se a pessoa quiser fazer por conta própria, recomendo então que rode entre cinco e 10 quilômetros pelo menos três vezes por semana para chegar bem no dia prova”, completa o mineiro, que aconselha também um pouco de reforço muscular. “No final faça uns piques de 50 metros em retas longas para soltar a musculatura”.

No dia da prova é comum o atleta ficar nervoso e apreensivo e sempre com a dúvida se fez tudo certo, mas Franck relata que o objetivo principal é participar da grande festa sem se estressar. “Vá com o pensamento que você fez tudo certo e tudo dará certo. Você não tem compromisso de vencer o Franck Caldeira”, brinca o mineiro.

“Se eu parar no meio da prova você ainda ganha um aperto de mão”, completa o atleta que lembra que por diversas vezes recebeu cumprimentos dos corredores no momento em que saía de uma competição antes da linha de chegada.

Assim como os profissionais cuidam da alimentação, os amadores também precisam ter uma atenção especial e, neste quesito, a dica de Franck é para não comer nada diferente do habitual nos dias que antecedem a São Silvestre. “Se o seu amigo te convidar para comer caldo de mocotó no dia anterior, não caia na dele, pois você pode ter problemas depois”.

Momentos antes do tiro de partida, vale a pena fazer uma última checagem no principal equipamento que será utilizado durante todos o percurso: o tênis. “Verifique se o tênis está bem amarrado e se o chip de cronometragem está preso no cadarço”, relata Franck.

Já na hora do tiro de partida, ele recomenda o corredor não mudar de faixa para evitar atropelar uns aos outros no meio da multidão. “É só lembrar da música e ficar ‘cada um no seu quadrado’”, finaliza o corredor mais uma vez mostrando seu bom humor peculiar.

Este texto foi escrito por: Alexandre Koda

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts