• Saúde - Sente dor na região dos glúteos? Pode ser a síndrome do piriforme

Sente dor na região dos glúteos? Pode ser a síndrome do piriforme

O pequeno músculo tem papel importante no movimento da corrida

Foto: Fotolia

Você já ouviu falar do piriforme? Quem sabe onde fica e para que serve o músculo talvez o conheça, justamente, por causa de uma síndrome ligada a ele. Muitas pessoas que sofrem com a síndrome do piriforme apresentam dor na região glútea. O piriforme é um pequeno músculo que se encontra próximo dos glúteos e que tem papel importante no movimento da corrida.

+ Esteja preparado para os 18k da Athenas RJ! Aproveite e inscreva-se para a prova aqui.

“Ele ajuda a rodar externamente os quadris e mantê-los nivelados, além de estabilizar a pelve”, comenta o doutor Marcus Yu Bin Pai. O especialista em Fisiatria e Acupuntura explica que a dor ocasionada pela síndrome do músculo piriforme acontece pela compressão do nervo ciático e pode ser comum em corredores.

O nervo ciático passa diretamente pelo músculo piriforme. “Quando o piriforme contrai, pode comprimir o nervo, gerando dor. Atividades repetitivas, como correr, podem fadigar o músculo e irritar o nervo”, afirma o médico.

Causas mais comuns da síndrome

Se você precisa ficar sentado o dia todo, preste atenção sempre na sua postura e em dores que possa sentir! De acordo com Dr. Marcus, glúteos fracos são um grande fator para a dor. “Ao ficar muito tempo e regularmente sentado, a força do seu glúteo e isquiotibiais pode diminuir com o tempo. Ela pode ser exacerbada pelo aumento súbito do volume de treinos ou intensidade”, explica.

Aqui entra a importância de se alongar. O alongamento pode te deixar menos vulnerável ao seguinte problema. “Quando você corre, os músculos não são capazes de disparar eficientemente ou em sincronia um com o outro. Como resultado, eles são incapazes de suportar a tensão repetitiva da corrida”, conta o especialista.

O treinador da Bio Ritmo, Diego Belloti, diz que fazer treinos que fortalecem os glúteos são muito vantajosos para quem pratica a corrida. “O melhor caminho seria o fortalecimento de membros inferiores de forma geral. Mas, uma vez que a musculatura está forte o suficiente, ela consegue absorver o impacto gerado pela corrida, prevenindo as articulações de sofrerem com o excesso de movimentos”, diz.

O treinador recomenda exercícios como agachamento, afunda e stiff para fortalecer a região!

Sintomas

Nem sempre é fácil diagnosticar a síndrome do músculo piriforme. Isso ocorre pois a dor não necessariamente acontece na hora da corrida. Ela aparece em outros momentos do seu dia; ao sentar, subir escadas ou agachar, por exemplo.

“A síndrome pode ser confundida com hérnia de disco, dor ciática ou um problema na parte inferior das costas” afirma o doutor. Além disso, ele comenta que a dor pode vir acompanhada de formigamento e dormência e faz com que a área da região das nádegas fique sensível. Inclusive, essa sensibilidade pode irradiar até para as pernas.

Como tratar

Repousar não é o suficiente para aliviar as dores causadas por essa síndrome. O objetivo inicial deve ser ajudar os piriformes a se soltarem e relaxarem!

“Tratamentos como alongamento e massagem ajudam no relaxamento muscular e melhora do fluxo sanguíneo. Gelo e sprays analgésicos podem ser utilizados para trazer mais conforto”, analisa Dr. Marcus.

Vale lembrar que o acompanhamento do seu médico de confiança é sempre importante! Ele vai diagnosticar seu problema e criar a melhor solução para você.

+ Confira provas de diferentes modalidade para participar!

Comentários

Tags:, , , , ,
Marina Bianchi
Formada em jornalismo, sempre fui muito ligada ao esporte e agora resolvi me aventurar ainda mais nisso! Acho esse mundo mágico e espero passar um pouco desse sentimento para outras pessoas também!
Publicidade

Calculadoras Webrun

Publicidade