Subida do imperador vai além da orla e do Aterro, no Rio de Janeiro

Os corredores tiveram que encarar 4km de subida (foto: Patrícia Serrão/www.webrun.com.br)
Os corredores tiveram que encarar 4km de subida (foto: Patrícia Serrão/www.webrun.com.br)

“Numa manhã nublada 300 ciclistas e 500 corredores se reuniram no coração da Floresta da Tijuca a fim de percorrer 4 km em subida. Outro desafio da “Subida do Imperador” era definir quem possui mais preparo físico: ciclistas ou corredores. Com três minutos de vantagem os ciclistas ganharam a competição de hoje. Mas segundo o ex-triatleta e organizador da prova Virgillio de Castilho no ano que vem os corredores terão outra chance”.

A corrida concentrou mais atletas do que a prova de ciclismo, e todos com animo e disposição para tentar provar que os corredores eram mais rápidos e resistentes do que os ciclistas. Muitos não acostumados com provas de montanha exageraram no ritmo e na empolgação e como conseqüência passaram mal após cruzar a linha de chegada.

A largada da corrida foi dada duas horas depois da largada do ciclismo para dar oportunidade aos atletas que desejavam competir nas duas categorias. Amauri Jose dos Santos foi o primeiro a cruzar a linha de chegada, com 18min50. Empolgado, deu um olé nos jornalistas que o esperavam na chegada e continuou correndo mais alguns metros. Só foi possível alcançar o corredor quando este desceu do pódio da premiação. “Este percurso diferente é um desafio, eu normalmente corro provas de cinco mil metros, mas quis participar desta porque estou me preparando para uma corrida de montanha na Argentina”, explica.

No feminino a ganhadora foi a finlandesa Jasmina Glad. Triatleta sem participar de competições desde o ano passado, só ontem (6/11) se inscreveu na prova, incentivada por sua treinadora. “A prova foi difícil porque não tem descanso, é só subida, subida e subida e bem quando você pensa que não pode ficar pior fica mais íngreme. Porém eu gostei. Esta foi a primeira que organizaram e eu espero que façam novamente ano que vem.”, contou. Emsegundo lugar ficou a brasileira Karina Britto, 26min21, seguida por Diane Clement, 28min07.

Os bikers – A prova de ciclismo foi dividida em duas categorias, Speed e Mountan Bike. O vencedor da categoria Speed foi Marcus Vinicius Ornelas, com um tempo de 15min38, muito feliz ele afirmou que estava fora das competições desde outubro por um problema no joelho.

“É bom vencer, especialmente porque no Brasil se passa de 30 anos já acha que o atleta é velho. Mas ciclismo não é como o futebol. Tenho 39 anos e tive um filho agora, Guilherme Correia Ornela, que agora está com seis meses e espero que um dia meu filho me veja competindo”. Marcus estava vestindo uma camisa com a estampa de “Star Wars” e aproveitou para brincar “Sou um Jedi”.

O pódio foi completado por Anderson Cordeiro e Pedro Paulo Barbosa. Os atletas aproveitaram para elogiar o circuito de montanha e marcar as diferenças de uma prova tradicional. “No ciclismo normalmente é uma prova de equipe, vai todo mundo junto. Aqui é cada um por si e tem que estar o tempo todo concentrado. É bem difícil”, conta Pedro Paulo.

Na prova feminina Rita Cassia Medeiro liderou desde a largada e com 17min40 foi a primeira mulher a cruzar a linha de chegada. “Eu já conhecia o percurso, que é lindo, e o tempo ajudou muito, foi muito bom não ter chovido”, afirma. O segundo lugar foi de Diane Clement, 18min59, seguida por Adriana Dexheimer, 19min57.

Este texto foi escrito por: Patrícia Serrão

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts